MidiaMAIS

Baseado na vida e na obra de Lídia Baís, livro em quadrinhos será lançado nesta quarta

Como principal inspiração, o autor escolheu a autobiografia de Lídia, escrita com um pseudônimo e em terceira pessoa

João Ramos Publicado em 25/05/2021, às 11h31

“Espero despertar o interesse sobre a vida e a obra de Lídia Baís", diz Fábio Quill
“Espero despertar o interesse sobre a vida e a obra de Lídia Baís", diz Fábio Quill - (Reprodução)

Nesta quarta-feira, dia 26 de maio, às 19 horas, será lançado o livro em quadrinhos “A Casa Baís”, do quadrinista e artista plástico Fábio Quill. A obra tem como protagonista a icônica Lídia Baís, transgressora à sua época, que o autor compara a “uma representante do Centro-Oeste com jeito de Frida Kahlo”. O lançamento terá transmissão ao vivo pelo facebook do Sesc Cultura MS.

Pintora sul-mato-grossense nasceu em 1900 (Guia da arte)

O interesse pela história de Lídia surgiu surgiu em Fábio logo que ele chegou à cidade. Ao visitar o Museu Lídia Baís, no antigo casarão que serviu de morada à Família Baís, ficou impressionado.

“Fui ao México em 2012 onde visitei o Museu da Frida Kahlo. As semelhanças entre as duas artistas são notáveis! Além de terem suas residências transformadas em museus, há ainda muita similaridade entre as duas: as personalidades transgressoras, a religiosidade, o afrontamento ao status quo da época, as pinturas polêmicas como a tela em que Lídia pinta a si mesma ao lado de Cristo, enfim. Foi impossível não questionar como até então eu nunca tinha ouvido falar da história de Lídia, uma mulher tão forte. Isso ficou remoendo em mim durante uns três anos até que eu decidi contar sua história”, revela.

Figura de Campo Grande, Lídia faleceu em 1985 (Arquivo)

Quadrinhos

"A Casa Baís" foi escrita e ilustrada por Fábio Quill, em formato de história em quadrinhos, uma narrativa moderna e dinâmica. O livro trata da vida da artista e, sobretudo, sobre a casa em que Lídia viveu, onde tinha seu ateliê e concebeu as suas obras. Nem mesmo as paredes da Morada dos Baís saíram ilesas. Lídia pintou sobre elas imagens tendo como figura central a si mesma.

Parte do projeto (Divulgação)

O livro nasceu a partir de um extenso trabalho de pesquisa. Como principal inspiração, o autor escolheu a autobiografia de Lídia, escrita com um pseudônimo e em terceira pessoa. “Além disso, conversei com amigos que tinham histórias e até relatos sensoriais com a obra dela”, diz Fábio.

Escolas, bibliotecas e público

100 professores da rede pública foram contemplados e receberão exemplares de “A Casa Baís”. Além disso, outras 200 unidades serão disponibilizadas a bibliotecas municipais e estaduais.

Em breve, Fábio fará a entrega desses livros e organizará um lançamento online para o público em geral. “Espero despertar o interesse sobre a vida e a obra de Lídia Baís e que todos saibam que, no Centro-Oeste brasileiro, mais precisamente em Campo Grande (MS), existiu uma mulher incrível que merece ser reconhecida por sua vida e sua obra”, afirma.

Jornal Midiamax