MidiaMAIS

Peça da Cia. Teatral Ofit celebra o centenário de nascimento da escritora Clarice Lispector

Nos encontros virtuais da Cia. Teatral Ofit, quatro atores e o diretor Nill Amaral trocam experiências e emoções semanalmente para dar vida ao texto que prestará uma homenagem a escritora Clarice Lispector. No elenco da peça estão os atores Lígia Prieto, Patricia Saravy, Samir Henrique e Tamara Prantl, além desses, o diretor estuda convidar mais […]

Leandro Marques Publicado em 11/11/2020, às 15h15 - Atualizado às 18h16

Ensaios são realizados em ambiente virtual (foto: reprodução)
Ensaios são realizados em ambiente virtual (foto: reprodução) - Ensaios são realizados em ambiente virtual (foto: reprodução)

Nos encontros virtuais da Cia. Teatral Ofit, quatro atores e o diretor Nill Amaral trocam experiências e emoções semanalmente para dar vida ao texto que prestará uma homenagem a escritora Clarice Lispector.

No elenco da peça estão os atores Lígia Prieto, Patricia Saravy, Samir Henrique e Tamara Prantl, além desses, o diretor estuda convidar mais uma atriz para uma participação na peça. Para a equipe, da distância física ao eco de uma caixa de som, os desafios dos ensaios on-line são muitos e vão além da tecnologia.

“O processo on-line para mim é um desafio, não só em relação ao teatro, mas em todos os aspectos. Eu sou uma pessoa que preza pelo contato, eu gosto de conversar, de abraçar e, por isso, eu tenho muita dificuldade de viver essa experiência”, confessa o ator Samir Henrique.

Além de ator, Samir também é profissional de saúde e, portanto, o cuidado com as medidas de biossegurança é ainda maior. “Ter essa plataforma nova é desafiador, mas também muito interessante. São novas possibilidades de sentir a emoção do outro, de trabalhar com esse retorno, com esse jogo que é a atuação”, acredita o ator.

A atriz Patricia Saravy concorda com os desafios, mas percebe novas possibilidades no formato.

“O desafio é como que a gente consegue dialogar a partir desse lugar remoto. Ao mesmo tempo cria-se uma praticidade de tempo, um tempo que nós estamos aproveitando mesmo, concentração bastante interessante. Acredito que a gente vá escoar tudo isso quando tivermos um ensaio presencial”, acredita.

Readequação

A peça é uma remontagem dirigida por Nill Amaral e contemplada pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro, da Secretaria de Cultura de Campo Grande (Fomteatro/Sectur). A primeira vez que o grupo homenageou Clarice foi em 2007, em memória ao trigésimo ano de falecimento da escritora.

Em 2020, a história retorna reformulada aos palcos sul-mato-grossenses para celebrar o centenário de nascimento de sua inspiração. O texto do espetáculo também foi atualizado pelo dramaturgo Éder Rodrigues (Prêmio Off/Flip 2017 e Prêmio Guarulhos de Literatura 2019).

“Mantivemos o fio condutor e estamos fazendo ajustes para uma melhor adequação do texto ao formato espetacular nesse contexto epidêmico. Mas mantemos o argumento principal e agora estamos testamos as cenas. É algo muito comum na lida teatral o texto sofrer inúmeras reconfigurações ao longo do processo dos ensaios. É a práxis que efetiva o texto e não o contrário. Por isso o exercício contínuo de cortes, ajustes, inserções, experimentações, confrontos”, explica Rodrigues.

As apresentações acontecerão no mês de dezembro. “A transmissão será feita ao vivo direto do Teatro Sesc Cultura. O projeto foi selecionado no Fomteatro da Sectur e tem o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e SESC Cultura, que sempre apoiaram a trajetória artística da Cia. OFIT”, frisa Nill Amaral.

Jornal Midiamax