MidiaMAIS

Governo estuda a volta da Lotesul para aumentar investimento na Cultura

Athayde anunciou em reunião com setor musical

Tatiana Marin Publicado em 18/12/2017, às 20h47

None

Athayde anunciou em reunião com setor musical

Reunião com artistas e técnicos do setor musical o secretário estadual de Cultura e Cidadania, Athayde Nery, anunciou, na tarde desta segunda-feira (18) que o Governo estuda a volta da Lotesul (Loterias de Mato Grosso do Sul). O anúncio foi feito em resposta a diversas demandas levadas pelo setor musical ao titular da Secc (Secretaria Estadual de Cultura e Cidadania).

Segundo Athayde, são necessárias algumas articulações para a volta da Lotesul, que é uma concessão federal. Além da Cultura, a verba arrecadada é destinada também para a assistência social e a previdência.

Durante a reunião, os cerca de 30 representantes levaram diversas demandas do setor musical. Entre elas está a não execução do edital Som da Concha 2017, solicitação de reforma dos equipamentos culturais, como o teatro Aracy Balabanian, maior presença de artistas regionais no conteúdo da rádio Educativa e mais transparência na escolha das atrações musicais que compõem os grandes eventos. Além disso, os profissionais sugerem a criação de mais mecanismos musicais, como festivais e cadastro dos músicos do Mato Grosso do Sul.

O presidente do Simatec/MS (Sindicato dos Músicos, Autores e Técnicos de Mato Grosso do Sul), Beko Santanegra, que participou da reunião, rebate o argumento de falta de verbas por parte do Estado.

Governo estuda a volta da Lotesul para aumentar investimento na Cultura

As queixas foram além das escolhas dos nomes e cachês pagos, concentram-se também na participação do cantor Almir Sater. Athayde explicou que a escolha é natural quando se trata de uma programação cultural com objetivo de reforçar e celebrar identidade sul-mato-grossense, mas afirmou que entende a frustração dos músicos.

O secretário defende também a transparência e participação dos segmentos culturais na escolha dos nomes e na execução dos projetos. Segundo ele, a questão vai ser resolvida com aprovação do Plano Estadual de Cultura, que foi aprovado na semana passada.

“O plano é um mecanismo que fortalece o Conselho Estadual de Cultura, que passa a ser deliberativo. Com a aprovação do plano e do sistema estadual de cultura, teremos de fato a criação de uma política de estado para a cultura em Mato Grosso do Sul, o que é uma grande conquista.

Em relação ao Som da Concha, o edital de 2017 será executado a partir de Fevereiro, com mais frequência, em finais de semana alternados. Até então acontecia uma vez por mês. Athayde prometeu também que o edital 2018 será lançado no ano que vem e deve passar por aprimoramentos. De acordo com o secretário, cidades do interior com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Urbano) farão parte de um circuito, que deve contemplar também a periferia da Capital.

Jornal Midiamax