MidiaMAIS

Projeto oferece oportunidade para meninas que residem próximo ao lixão da Capital

Atualmente, projeto atende 110 meninas carentes 

Clayton Neves Publicado em 23/11/2015, às 09h55

None
11214721_393791367492241_7589059340537879289_n1.jpg

Atualmente, projeto atende 110 meninas carentes 

A situação de vulnerabilidade de meninas que residem nas proximidades do aterro sanitário de Campo Grande e o sentimento de solidariedade de quem sempre está disposto a ajudar fizeram nascer em 2014 o Projeto Princesas. Atualmente, atendendo cerca de 110 adolescentes, a ação é referência quando o assunto é compromisso com a formação social e moral de meninas carentes.

O professor e idealizador do Projeto, Jessé Fragoso, lembra que tudo começou o ano passado em uma escola do Bairro Lageado, na região do aterro sanitário da Capital. A falta de recursos de dezenas de adolescentes, fez com que ele desenvolvesse uma proposta que que estimulasse o interesse pelos estudos, desenvolvesse a auto-estima e auxiliasse na melhora do convívio familiar das jovens. “Desde os primeiros meses começamos a perceber muitas melhoras no comportamento, notas escolares, e convívio familiar das meninas atendidas”, lembra.

No Projeto Princesas, uma vez por semana as meninas recebem palestras de motivação, sexualidade, conhecimentos profissionais, incentivo aos estudos, e além disso, desfrutam momentos de lazer por meio de passeios. A proposta, que começou com 55 garotas em apenas um ponto da cidade, hoje atende 110 jovens e está distribuída em três polos da Capital.

Nos próximos dias 28 de novembro e 4 de dezembro, acontece a formatura das 'princesas', uma cerimônia que marca o encerramento de mais um ano do projeto. Para que o evento possa ser realizado, durante todo o ano as formandas fazem rifas e vendem guloseimas para a arrecadação de fundos.

(Com supervisão de Guilherme Cavalcante)

Jornal Midiamax