Geral

Ministro muda agenda, mas não consegue fugir de protesto que promete parar hospital

Seminário sobre o Programa Mais Médicos teve de ser mudado de local, mas ministro da Saúde, Arthur Chioro, não conseguiu evitar ação de manifestantes na Capital.

Arquivo Publicado em 30/05/2014, às 19h12

None
862618217.jpg

Seminário sobre o Programa Mais Médicos teve de ser mudado de local, mas ministro da Saúde, Arthur Chioro, não conseguiu evitar ação de manifestantes na Capital.

Está tumultuada a passagem do ministro da Saúde, Arthur Chioro, por Campo Grande nesta sexta-feira (30). Com agenda prevista no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, de última hora foi informado de que ele estava na Casa da Indústria, onde ele não conseguiu fugir de protesto feito contra o Programa Mais Médicos.

Policiais militares fizeram cordão de isolamento diante da Casa da Indústria, sede da Fiems (Federação das Indústrias de MS). Aos gritos de “se não deixar entrar, a Santa Casa vai parar”, manifestantes, que estavam antes no Rubens Gil de Camilo, reclamam por não poderem entrar no prédio.

Fontes do governo estadual informam que, por se tratar de um evento do governo federal, a recomendação para o reforço na segurança e a mudança de local foi da Polícia Federal. O ministro entrou no auditório da Casa da Indústria por volta das 16h.

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, e o secretário municipal de Saúde, Jamal Salém, entre outras autoridades, também foram até a Casa da Indústria. O prefeito, inclusive, chegou a ir para o Rubens Gil de Camilo, de onde saiu às pressas diante da mudança de planos.

A presença do ministro é para a abertura do Seminário Mais Médicos para o Brasil, Mais Saúde para os Brasileiros. O protesto, que envolve médicos e estudantes, é justamente contra o Programa Mais Médicos.

Jornal Midiamax