Geral

Júlio diz que renúncia da oposição na OAB-MS desrespeita Conselho Federal da Ordem

Oposicionistas tentaram afastar presidente e renunciaram após fracasso no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

Arquivo Publicado em 25/03/2014, às 14h30

None

Oposicionistas tentaram afastar presidente e renunciaram após fracasso no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Júlio César Souza Rodrigues, afirmou nesta terça-feira (25) que vai permanecer à frente da diretoria da Ordem e deve anunciar em breve a nova diretoria.


O pronunciamento foi marcado após ato de pouco menos de 30 advogados da oposição ao presidente protocolizarem a renúncia de 77 membros que integravam a instituição. Segundo Júlio César, a tentativa de inviabilizar a instituição não vai parar com os trabalhos da Ordem.


Membros da diretoria estão reunidos desde ontem para estudar o Estatuto da Ordem, regimento interno e Regulação Geral da Advocacia para ver quais serão os procedimentos corretos de como organizar a nova gestão.


“Não consegui ainda enxergar novas eleições”, afirmou o advogado. Em pronunciamento, Júlio César defendeu que a candidatura para representar os mais de 12 mil advogados do Estado foi resultado da união de dois grupos em razão de experiência como professor e ex-vice-presidente da OAB-MS.


O presidente relatou que foi alvo de muitas injustiças e falta de respeito nos últimos meses no plano pessoal, profissional e institucional que acabaram afetando o nome, a imagem e o prestígio da Ordem. “Contudo, em momento algum perdi a racionalidade institucional, o recato, a discrição e a compostura exigidas de um presidente da Ordem”.


Júlio César afirma que a renúncia dos membros demonstra desrespeito à autoridade do Conselho Federal da OAB, impedindo que o mesmo solucionasse o conflito de forma pacífica. A instituição já havia iniciado um procedimento e adotado providências para resolver o impasse com a nomeação de um observador para acompanhar as atividades da OAB-MS.


“Ao longo de todo esse processo, a Ordem foi acusada de estar “acéfala”, ingovernável e com um presidente isolado. Todavia, os números mostram outra realidade. Para ilustrar, considerando somente o período de outubro de 2.013 a fevereiro de 2.014, as ações pró-ativas da OAB/MS registraram o número total de 503 atividades publicadas no site da Seccional, e 531 matérias positivas publicadas na imprensa de todo o Estado de Mato Grosso do Sul. Desse modo, o grande número de ações da atual gestão demonstra que se cumpriu mais de 70% do projeto de administração apresentado nas eleições institucionais, sem que se tenha chegado ainda à metade do mandato.


Os números evidenciam que a Ordem jamais ficou parada e que seu presidente nunca ficou isolado, pois atuou e está atuando em conjunto com os membros de 39 comissões da seccional, que se doam voluntariamente em benefício de uma Ordem digna dos anseios dos advogados e de toda a sociedade.


Por fim, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção de Mato Grosso do Sul afirma que diante das renúncias realizadas, adotará todas as providências à luz do que determina o Estatuto da OAB, Regulamento Geral da Advocacia e Regimento Interno; e que este presidente continuará conduzindo as bandeiras da Ordem com a “Marcha da Sensatez”, “construindo pontes com a sociedade, para alcançar a democracia e derrubar muros a favor de uma sociedade forte na luta pela cidadania”, finalizou o discurso.

Jornal Midiamax