Geral

Escavação Irregular de terceiros tirou a Banda da Larga de Corumbá

Já é conhecido o motivo pelo qual Corumbá ficou sem Internet Banda Larga por cerca de seis horas. Conforme a OI, que detém a exclusividade do serviço na cidade, que é localizada a 444 Km de Campo Grande, o rompimento de um fibra ótica subterrânea gerou o problema. A operadora confirma que possivelmente uma escavação […]

Arquivo Publicado em 24/02/2014, às 21h33

None
97262190.jpg

Já é conhecido o motivo pelo qual Corumbá ficou sem Internet Banda Larga por cerca de seis horas. Conforme a OI, que detém a exclusividade do serviço na cidade, que é localizada a 444 Km de Campo Grande, o rompimento de um fibra ótica subterrânea gerou o problema. A operadora confirma que possivelmente uma escavação irregular na vizinhança da rodovia 262 tenha danificado o cabeamento.


“A Oi informa que uma obra sob responsabilidade de terceiros rompeu um cabo de fibra ótica da companhia, no início da tarde de hoje (24/3), no município de Miranda (MS), afetando parte dos serviços de banda larga em Corumbá e Ladário. Equipes técnicas foram acionadas imediatamente e o serviço foi restabelecido também na tarde de hoje”, esclareceu a nota da Operadora sobre o transtorno que também prejudicou a Telefonia Móvel de outras operadoras que utilizam essa estrutura da OI.


Conforme a empresa, o ‘buraco’ foi feito logo após o município de Miranda, o que permitiu a cidade, distante 203 Km de Campo Grande, de ficar sem o problema no fornecimento da Internet. Apenas regiões de Corumbá ficaram sem o serviço de Banda Larga. A OI fez questão de enfatizar que os seus clientes de Telefonia Móvel não tiveram problemas de sinal.


Reclamações


O Procon-MS está atento a situação, que é recorrente em Corumbá neste ano. O órgão deverá entrar em contato com a autarquia da cidade para cobrar uma investigação sobre a falha no fornecimento do serviço. A Superintendência lembra que os consumidores tem o direito de registrar queixas da interrupção pelos canais de denúncia disponíveis pela entidade.


Com o processo administrativo, o Procon local fará a tutela jurisdicional no ressarcimento financeiro, ou de qualidade do serviço, junto a empresa, que pode inclusive ser multada se a causa da falha for comprovadamente de sua responsabilidade. A Superintendência Estadual do órgão pretende em 2014 aproximar-se da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para encontrar mecanismos de medição da qualidade dos serviços de Telefonia e Internet.


“Existem sites que possibilitam o cliente verificar a potência do sinal de Internet que ele está recebendo. Isso ajuda para que ele verifique oscilações contínuas e também se está tendo acesso a um serviço que pagou. Em situações como essa de Corumbá o consumidor tem o direito de buscar através do Procon descontos na fatura, ou algum outro tipo de benefício como compensação da falha no serviço”, explica a advogada da Superintendência Estadual do Procon-MS, Rosimeire Cecília da Costa.

Jornal Midiamax