Geral

Belo falta gravação e faz Raul Gil chorar

O clima ficou tenso na última segunda-feira (7) durante a gravação do “Programa Raul Gil”, exibido no SBT. O motivo? Em cima da hora, no domingo à noite, a produção do cantor Belo ligou para o diretor da atração, Raul Gil Junior, o Raulzinho, informando a impossibilidade de o artista não  ir mais à gravação. […]

Arquivo Publicado em 11/04/2014, às 13h04

None
1963645549.jpg

O clima ficou tenso na última segunda-feira (7) durante a gravação do “Programa Raul Gil”, exibido no SBT. O motivo? Em cima da hora, no domingo à noite, a produção do cantor Belo ligou para o diretor da atração, Raul Gil Junior, o Raulzinho, informando a impossibilidade de o artista não  ir mais à gravação.

O grande problema é que Belo seria homenageado no programa em um quadro que dura 1 hora e 30 minutos. Nele, várias pessoas fazem declarações para o artista escolhido em vídeos pré-gravados. Para efeito de comparação, o quadro lembra o “Arquivo Confidencial”, do “Domingão do Faustão”.

“Estava tudo acertado e um assessor dele, chamado Renan, me ligou e disse simplesmente que ele não ia. Nem deu explicação”, reclama Raulzinho, em entrevista ao Purepeople. “Minha produção ficou mais de duas semanas trabalhando na homenagem. Os vídeos estavam gravados e o Belo indicou todas as pessoas que o homenagearam”.

Para lidar com o imprevisto, a produção do “Programa Raul Gil” encontrou uma solução inusitada: colocou um boneco do cantor na cadeira localizada no meio do palco, em que ele ficaria sentado.

“Se fosse um número musical, eu tinha como colocar algo no lugar. Até 30 minutos vai, mas 90 minutos não tenho como. E tinha também o respeito com as pessoas que gravaram as homenagens”, justifica o diretor. “A homenagem ia sair de qualquer jeito. Não iríamos deixar a cadeira vazia porque isso é muito chato”.

Desprestígio

A situação magoou Raul Gil. Segundo o filho do apresentador, ele até chorou no camarim. “Meu pai se questionou: ‘por que isso acontece só comigo?’. As pessoas não sabem, mas esse não foi o primeiro episódio deste tipo. O Luan Santana, por exemplo, já se recusou. Ele sempre ajudou a divulgar os artistas e nunca cobrou jabá”, pontua.

“Meu pai se sentiu desprestigiado. Ficou magoado com isso. Ele faz parte da história da TV brasileira e as pessoas deveriam ter mais respeito por isso. Meu pai, por exemplo, tinha feito uma cirurgia na boca e estava todo roxo. A dentista o proibiu de gravar o programa, mas ele disse que tinha que ir porque haveria uma homenagem ao Belo”, conta.

Para Raulzinho, a mesma situação não teria acontecido, por exemplo, na rival Globo. ” O Raul Gil não pode ser respeitado no SBT? A Globo, por ser uma potência, fica mais respeitada que a pessoa do Raul Gil, que sempre fez muito pela música brasileira”, diz.

“Duvido que o Belo teria feito o mesmo no Faustão. Ele sabe que lá as penalidades são grandes. A música não entra mais nas trilhas das novelas e ele deixa de ser convidado para os programas”, completa.

Sem ressentimento

Mesmo com a mágoa, Raulzinho garante que não fica ressentimento. “O Belo sempre vai fazer parte do programa. Na gravação, por exemplo, não houve ataques. Apenas lamentamos sua ausência por ele não poder ver uma homenagem tão linda. Por gostar demais do Belo, meu pai ficou chateado. A gente só se magoa com quem ama. Com quem não gosta, ignora e passa direto”.

Purepeople entrou em contato com a assessoria de imprensa do cantor, mas ela ficou de divulgar uma nota oficial sobre o ocorrido. Até o fechamento da matéria, o documento ainda não havia sido enviado.

Jornal Midiamax