Geral

Após golaço, Neymar é defendido pelo técnico por dancinha em comemoração

O golaço no retorno ao Barcelona, depois de se recuperar de uma torção no tornozelo direito, levou Neymar a ser aplaudido no Camp Nou e elogiado pelo chefe, o técnico Gerardo Martino. O argentino defendeu o atacante até mesmo de uma suposta polêmica levantada pela imprensa espanhola sobre a dança que fez na comemoração do […]

Arquivo Publicado em 16/02/2014, às 18h54

None

O golaço no retorno ao Barcelona, depois de se recuperar de uma torção no tornozelo direito, levou Neymar a ser aplaudido no Camp Nou e elogiado pelo chefe, o técnico Gerardo Martino. O argentino defendeu o atacante até mesmo de uma suposta polêmica levantada pela imprensa espanhola sobre a dança que fez na comemoração do sexto gol do Barcelona.

Questionado se a celebração não era um ato de menosprezo ao rival, Martino minimizou e citou que o camisa 11 vivenciou situações desgastantes fora de campo nas últimas semanas (polêmicas sobre sua transferência e fim do namoro com Bruna Marquezine).

“Foi um retorno muito bom, ele não teve problemas durante a semana e jogou bem durante os 30 minutos. Na celebração não podemos esquecer o contexto do jogador, o que ele sofreu com a lesão e com situações fora de campo. De maneira alguma há falta de respeito ao rival”, afirmou o técnico argentino.

Dancinhas após gols já rederam problemas para brasileiros no Barcelona. Há dois anos, Daniel Alves, que celebrou junto com Neymar no último sábado, comemorou com Thiago Alcântara um gol contra o mesmo Rayo Vallecano fazendo uma dancinha.

Na hora, a dupla foi repreendida por Puyol, capitão do time. Técnico do Barça na época, Pep Guardiola criticou a atitude. “Não é uma postura de um jogador do Barcelona”, afirmou o treinador na época.

Poupado de críticas por Martino, Neymar voltou com o pé direito após um início de ano complicado. Além da lesão, o brasileiro se viu envolvido numa polêmica que resultou na renúncia de Sandro Rosell, ex-presidente do Barcelona.

O cartola abandonou o cargo após a Justiça da Espanha anunciar que irá investigar a contratação do atacante por suspeitas de desvios no negócio. Depois da saída de Rosell, o clube divulgou detalhes do acerto, que custou cerca de 86 milhões de euros.

“Fiquei preocupado com tudo que disseram de mim. Não era nada certo. Sandro Rosell sempre foi muito bom comigo, é uma grande pessoa. Sempre agradecerei a ele por ter me trazido para cá”, afirmou Neymar ao jornal “Sport”.

Jornal Midiamax