Geral

Aluna acusa escola de humilhação por uso de short ‘curto’ no Canadá

Uma estudante canadense que foi repreeendida por violar o código de vestimenta da escola, acusa a instituição de humilhar suas alunas, segundo o Huffington Post. Lindsey Stocker, que frequenta a escola Beaconsfield, em Quebec, afirmou que o colégio a envergonhou publicamente, quando funcionários lhe disseram em frente de toda a turma que seus shorts eram […]

Arquivo Publicado em 03/06/2014, às 15h04

None
1484496946.jpg

Uma estudante canadense que foi repreeendida por violar o código de vestimenta da escola, acusa a instituição de humilhar suas alunas, segundo o Huffington Post.

Lindsey Stocker, que frequenta a escola Beaconsfield, em Quebec, afirmou que o colégio a envergonhou publicamente, quando funcionários lhe disseram em frente de toda a turma que seus shorts eram curtos demais e que ela deveria trocar de roupa.

Depois disso, os alunos tiveram de ficar em pé, com os braços ao lado do corpo, para ver se a ponta dos dedos alcançavam seus shorts.

“Quando eu disse que não ia trocar de roupa, eles me disseram que eu havia feito uma má escolha e continuaram a balançar suas cabeças de forma negativa na frente de todo mundo”, disse Stocker.

Após o ocorrido, a jovem colocou cartazes em toda a escola que diziam: “Não a humilhe porque ela está usando shorts. Está quente lá fora. Em vez de fazerem as meninas sentirem vergonha de seus corpos, ensine os meninos que as garotas não são objetos sexuais”.

Os cartazes foram imediatamente retirados e a estudante foi suspensa por um dia por várias infrações, conforme informou a conselheira da escola, Suzanne Dia Stein.

De acordo com o jornal canadense National Post, o código de vestimenta da escola não autoriza as estudantes a vestirem shorts curtos, tops e blusas muito decotadas.

No fim de maio,  30 estudantes foram suspensas de outra escola canadense por violar o código de vestimenta da instituição. Na ocasião, algumas alunas estavam vestindo camisas sem mangas ou sutiãs com alças visíveis.

Na época, a aluna Maddie Plynn contou que funcionários da escola lhe disseram que existia um código de vestimenta para as meninas para que elas não distraíssem os garotos.

“Eu estava conversando com um grupo de meninos uma vez e até eles me disseram que ficaram ofendidos porque a escola os estavam transformando em monstros descontrolados”, contou a aluna.



Jornal Midiamax