Geral

7 campo-grandenses que choraram muito com ‘A Culpa é das Estrelas’ falam do filme

O filme ‘A Culpa é das Estrelas’, do diretor Josh Boone, está dando o que falar, ou melhor, chorar. Desde o lançamento do longa-metrangem, em 5 de junho de 2014, no Brasil, é comum ver nas redes sociais relatos de pessoas que se dizem comovidas com a história do filme, que vem do livro de […]

Arquivo Publicado em 23/06/2014, às 21h00

None

O filme ‘A Culpa é das Estrelas’, do diretor Josh Boone, está dando o que falar, ou melhor, chorar. Desde o lançamento do longa-metrangem, em 5 de junho de 2014, no Brasil, é comum ver nas redes sociais relatos de pessoas que se dizem comovidas com a história do filme, que vem do livro de mesmo nome.

O drama conta a história da adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley), que diagnosticada com câncer se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando contra a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer.

Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Seja por se lembrar de alguma história familiar ou pela história em si, os “chorões” explicam os motivos que os levaram às lágrimas.

Letícia Ferreira – Estudante – 17 anos

“Desde quando eu li o livro já fiquei muito comovida com a história, pois o câncer já é uma coisa triste, e com morte por isso, então, nem se fala. Já tive contato com pessoas que sofreram com isso e de certa forma acabei me comovendo mesmo”.

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Alexia Dayglee – Estudante – 19 anos

“Chorei porque o filme retrata o câncer de uma forma simples de se entender, porém profunda. Mostra como os familiares e amigos sofrem com a doença e não só o portador da doença em si. Acho que assistindo a esse filme, nós aprendemos a dar mais valor em pequenas coisas da vida e também em quem nos ama e nos rodeia. Também já tive um tio que lutou contra o câncer durante dois anos e morreu muito debilitado. Foi uma época muito difícil para toda a família”.

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Maria Helena Matarezio – Publicitária – 22 anos

“Na verdade me emocionei por ser a história de dois jovens que apesar da doença não se deixaram levar pelo comodismo, buscaram ir atrás de seus sonhos. É uma verdadeira lição de vida. E para quem leu o livro como eu, se emocionou mais ainda. As partes que mais me emocionei foram as de quando ele conta que está doente e a parte do discurso que a Hazel faz para o Gus. Assisti o filme duas vezes e pretendo ir mais uma vez essa semana”.

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Stephany Santos – Fotógrafa – 21 anos

“Me emocionei pelo simples fato de ser um romance de dois jovens onde eles superam a dor juntos e claro no amor… Amo como o Gus mostra para Hazel que a vida é muito mais do que se lamentar, e sim para ser vivida. O filme emociona ainda mais para aqueles que já perderam alguém com câncer como eu perdi, que me fez lembrar de uma amiga que hoje brilha entre as estrelas do céu. O.k”

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Luiz Fernando Palhano – Professor – 25 anos

“O que mais me emocionou foi a fidelidade dos diretores com a história do livro. Ficou muito fiel, até mesmo nas falas (…). O que me emocionou também foi a maneira como os dois foram descritos e desenvolvidos. Eles estavam doentes, mas não eram coitados, como costumamos fazer quando as pessoas adoecem de câncer. Eles ainda eram pessoas como nós, com sonhos, anseios, qualidades e defeitos. A história de Hazel e Gus me emociona também pq eu tive um caso de câncer em minha família, com uma tia muito próxima que faleceu em 2012, na mesma época em que o livro foi lançado”.

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Hélida Suarte – Estudante – 20 anos

“Bom o filme inteiro é lindo, não fugiu do contexto do livro. Me emocionei pela força de vontade do Gus, pela forma que ele enfrentou o segundo câncer, por seu amor pela Hazel. Me emocionei bastante na parte que ela lê o seu depoimento fúnebre pra ele na igreja onde eles se conheceram. Na parte que ele conta a ela que está morrendo é uma das partes mais comoventes. Mas para quem leu o livro como eu, acho que emociona mais, porque você imagina toda a cena”.

7 campo-grandenses que choraram muito com 'A Culpa é das Estrelas' falam do filme

Victória Santos – Estudante – 17 anos

“Desde o começo você espera que a Hazel morra e não o Gus,quando ele aparece e diz que está curado há 1 ano e meio nós acabamos criando aquela esperança de ter um final feliz no estilo Disney onde temos a nossa princesa e o nosso príncipe e que eles vão acabar juntos e felizes, mas acaba dando uma reviravolta e o câncer do Gus volta e já atingiu o corpo todo e a partir daí já sabemos que eles não vão ter um final feliz e sim um final no estilo do escritor Nicholas Sparks e isso acaba sendo muito emocionante, porque nós acabamos nos colocando no lugar dos personagens e sentindo aquilo que eles sentem, fazendo a gente chorar quase o filme inteiro”.

Jornal Midiamax