Geral

Presidente da Fetems é ameaçado de morte e entidade emite nota

A direção da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e dos seus 72 Simted’s (Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação) filiados vem a público denunciar, que o presidente da nossa Federação, o professor Roberto Magno Botareli Cesar, foi ameaçado de morte, na tarde desta quarta-feira (4), por volta das 16:10, […]

Arquivo Publicado em 04/12/2013, às 23h55

None

A direção da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e dos seus 72 Simted’s (Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação) filiados vem a público denunciar, que o presidente da nossa Federação, o professor Roberto Magno Botareli Cesar, foi ameaçado de morte, na tarde desta quarta-feira (4), por volta das 16:10, através de uma ligação no telefone oficial da entidade (067-3382-0036).

O indivíduo que realizou esta ação se identificou como “Mauricio Pistoleiro” e proferiu palavras de baixo calão, seguidas de ameaças contra a vida do nosso dirigente. Essa questão aconteceu logo após o resultado da intervenção dos movimentos sociais e sindicais na Justiça Federal que resultou na suspensão do chamado “Leilão da Resistência”, que estava sendo organizado por fazendeiros, com intuito de arrecadar recursos para a contratação de seguranças armados, nas áreas de conflito de terras com os indígenas sul-mato-grossenses, coincidência ou não, nós não vamos ficar de braços cruzados diante dessa intimidação.

A FETEMS é a maior entidade sindical de Mato Grosso do Sul, o nosso presidente está neste cargo, que nos próximos anos com certeza poderão, como já foram, ser ocupados por outras pessoas da nossa luta, portanto o professor Roberto Botareli, representa atualmente mais de 25 mil filiados e como ele já tivemos vários e ainda teremos companheiros e companheiras a frente de nosso processo, portanto a ameaça a ele é a todos nós, já que temos um histórico de lutas não apenas pela educação de qualidade, como por uma sociedade mais justa, humana e igualitária, nestes 35 anos de história.

Em nosso opinião a intimidação, a ameaça oculta, é dos covardes, pois a luta que fazemos é transparente, nós colocamos a nossa cara, a nossa bandeira, nós vamos para as ruas, nos mobilizamos, nos unimos a toda a classe trabalhadora de nosso país, não temos medo, por isso nos indignamos quando passamos por situações como essa, afinal já perdemos muitos companheiros e companheira covardemente assassinados por defenderem um mundo mais justo, sem concentração de riquezas, com serviços públicos de qualidade, educação, saúde, infraestrutura e assim por diante.

Comunicamos que a Federação já tomou as providência cabíveis, tanto de segurança, quanto de denúncia e vamos dar todo o respaldo necessário para que não só o nosso presidente continue tocando a luta, como todos os nossos dirigentes e companheiros e companheiras dos movimentos sociais e sindicais de Mato Grosso do Sul, que estão unidos nessa e em outras causas da classe trabalhadora.

“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros” Che Guevara.

Jornal Midiamax