Geral

Rebelo nega que saída da Delta atrasará obras no Maracanã

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou neste sábado que as obras do Estádio do Maracanã não serão prejudicadas pela saída da Delta Construções do consórcio responsável pelas reformas. Em declarações à Agência Brasil, o político ressaltou que acredita na conclusão das obras na data prevista, em fevereiro de 2013, a tempo para a Copa […]

Arquivo Publicado em 21/04/2012, às 22h40

None

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou neste sábado que as obras do Estádio do Maracanã não serão prejudicadas pela saída da Delta Construções do consórcio responsável pelas reformas. Em declarações à Agência Brasil, o político ressaltou que acredita na conclusão das obras na data prevista, em fevereiro de 2013, a tempo para a Copa das Confederações.

A construtora Delta, responsável por um terço da obra do Maracanã, será ser desvinculada do consórcio por causa do envolvimento com o empresário Carlinhos Cachoeira, suspeito de comandar um esquema de exploração de jogos ilegais.

A empresa, que não confirmou a informação, está sendo investigada pela Polícia Federal por depósitos milionários em empresas vinculadas à Cachoeira. As investigações foram informadas pela imprensa nas últimas semanas, o que gerou um escândalo e levou o Congresso a abrir uma comissão de investigação.

A Delta assumiu nos últimos anos vários contratos milionários, alguns deles relacionados com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. A companhia possui 30% do consórcio da Maracanã, em sociedade com Odebrecht (49%) e Andrade Gutiérrez (21%).

As obras do Maracanã estão aproximadamente na metade, segundo cálculos do consórcio, que emprega diariamente 5,2 mil trabalhadores. A reforma do estádio, inaugurado em 1950 para a Copa no mesmo ano, têm um orçamento de R$ 956,8 milhões.

Jornal Midiamax