Geral

Prefeito eleito diz que cobrará de empreiteiras obras com defeito em Campo Grande

Asfaltos recém-inaugurados que cedem, buracos que estouram em recapeamentos, e até dificuldades de escoamento das águas pluviais podem ser grande problema para quem teve contrato com Prefeitura nos últimos anos.

Arquivo Publicado em 30/10/2012, às 11h29

None
164351893.jpg

Asfaltos recém-inaugurados que cedem, buracos que estouram em recapeamentos, e até dificuldades de escoamento das águas pluviais podem ser grande problema para quem teve contrato com Prefeitura nos últimos anos.

As obras que estão em andamento ou foram entregues recentemente por empreiteiras contratadas pela Prefeitura de Campo Grande devem passar por uma auditoria e, em caso de problemas na qualidade dos serviços, as empresas terão que arcar com o custo do conserto ou correção.


O aviso é do prefeito eleito, Alcides Bernal.  Ele falou na manhã desta terça-feira (30) em entrevista ao programa UCDB Notícias, do jornalista Joel Silva, na FM UCDB, e prometeu cobrar das empreiteiras a responsabilidade pelos serviços que realizaram para a administração municipal.


“Realmente as reclamações por serviços que não foram bem feitos são muito comuns em Campo Grande. Há casos de cascalhamentos que foram feitos sem a compactação necessária, e se tornam um transtorno para os moradores, por exemplo”, disse o prefeito, eleito no último domingo (28).


Problemas como asfaltos recém-inaugurados que cedem, buracos que estouram em recapeamentos, e até dificuldades de escoamento das águas pluviais podem se tornar uma enorme dor-de-cabeça para as prestadoras de serviços que atenderam à Prefeitura nos últimos anos.


“Vamos fazer auditoria nas obras já realizadas e nas que estão em andamento. Onde encontrarmos problemas ligados à qualidade, vamos agir imediatamente. Se tiver defeito, vão ter que pagar pelo conserto”, disse Bernal.


O prefeito eleito assume em janeiro, mas já terá uma equipe de transição atuando nos próximos meses. Ele garante que acionará todas as autoridades e órgãos capazes de ajudar na preservação de direito dos contribuintes. “Vou chamar o Ministério Público, vou chamar a sociedade”, avisa.


“Vamos auditar tudo e aquele que não cumprir com seu dever, vai responder, vai ter que reparar o erro. Quem não cobrar isso, está defendendo interesses escusos, e não vou ser conivente. Na nossa administração, isso não vai acontecer. Nosso compromisso não é com coisa errada, é com a população”, prometeu Alcides.

Jornal Midiamax