Geral

Prefeito eleito de Corumbá diz que não vai ceder a pressões para definir equipe

O prefeito eleito de Corumbá, Paulo Duarte (PT), cumpriu agenda na semana passada em Campo Grande onde deve permanecer no cargo de deputado estadual até o final deste ano. Esta semana, ele deve voltar à cidade para dar início às conversações com prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), visando implantar a equipe de transição que […]

Arquivo Publicado em 15/10/2012, às 11h52

None
1481304594.bmp

O prefeito eleito de Corumbá, Paulo Duarte (PT), cumpriu agenda na semana passada em Campo Grande onde deve permanecer no cargo de deputado estadual até o final deste ano. Esta semana, ele deve voltar à cidade para dar início às conversações com prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), visando implantar a equipe de transição que o deixará a par dos empreendimentos que estão sendo desenvolvidos pelo Executivo e também para traçar a estratégia das secretarias de seu governo que começa em 2013 e a escolha de seu secretariado.


“Estou acostumado a pressões”, afirmou Duarte dizendo que para compor o quadro que o auxiliará na Prefeitura, não vai admitir ingerência de quem quer que seja. “Vamos dialogar, conversar muito. Temos os partidos aliados, as pessoas que estiveram junto conosco na campanha e é claro que precisamos contemplar os nossos parceiros. Não vou contar com ninguém de fora desse quadro, se temos aqueles que nos ajudaram, que se uniram ao nosso grupo, então é com eles que vou conversar e não aceito pressões”, reafirmou com a qualidade de quem tem vasta experiência de vários cargos no comando de pastas no Governo Estadual e principalmente como chefe da Casa Civil, que é a pasta governamental responsável pelo diálogo e por absorver as pressões até mesmo da Assembleia Legislativa.


Paulo Duarte não só se posicionou contra possíveis assédios, mas também foi enfático ao deixar claro que em seu governo, quem mandará será ele próprio. “O prefeito eleito sou eu e, portanto, quem vai determinar o que cada um deverá fazer no meu governo sou eu”, disse sem cerimônias, demonstrando que está decidido a traçar o organograma das secretarias e escolher os chefes das pastas de acordo com aquilo que pretende desenvolver entre 2013 e 2016 à frente do Executivo Corumbaense.


Apesar de não adiantar nenhum detalhe, o prefeito eleito deixou transparecer que a sua vice-prefeita, Márcia Rolon, terá um lugar de destaque durante a administração. Ela participou ativamente da campanha e é uma pessoa ligada à cultura. “Vocês terão noção do que a Márcia representará para o nosso governo quando eu anunciar o que ela fará”, afirmou ele sem, no entanto, dizer se ela trabalhará como vice-prefeita ou se irá ocupar uma secretaria ou cargo especial, como presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal de Corumbá, por exemplo.


São muitas as especulações a respeito da composição do governo de Duarte e nas rodas de conversa muitos nomes aparecem como prováveis. Mas fato é que, somente ele, o prefeito eleito, sabe realmente quem serão os escolhidos para assumir os cargos de confiança a partir de janeiro do ano que vem. A permanência de nomes que lideram pastas no governo Ruiter é praticamente descartada, muito embora se cogitem alguns nomes, entre eles, o do professor Hélio de Lima, que é secretário municipal de Educação.


Uma garantia de Paulo Duarte é de que, programas que vêm dando certo serão mantidos. Ele sempre se referiu com mais ênfase ao setor da educação e já trabalha pela área. Em Campo Grande, ele tenta sensibilizar seus colegas deputados a direcionar emendas para climatizar as salas de aula de todas as escolas da Rede Municipal de Ensino. Mas Duarte afirmou que a prioridade de seu governo será contemplar as pessoas que mais necessitam e tem um compromisso muito forte com as crianças carentes, principalmente.

Jornal Midiamax