Geral

Júlio Cesar é o novo presidente da Ordem dos Advogados de Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande, das seis urnas apuradas, o candidato Júlio César, que é apoiado pela atual presidência, ganhou em todas.

Arquivo Publicado em 20/11/2012, às 22h17

None
2113754234.jpg

Em Campo Grande, das seis urnas apuradas, o candidato Júlio César, que é apoiado pela atual presidência, ganhou em todas.

Júlio Cesar é o novo presidente da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul). O candidato venceu com 2870 votos em todo o Estado, contra 2462 votos de Marco Túlio e 1197 de Alexandre Bastos, resultado oficial divulgado às 19h52 pela Comissão Eeitoral da OAB/MS.


A festa de comemoração, que acontece no comitê do candidato, na Via Park, recebe cerca de duzentos advogados que apoiaram a candidatura dele, que chegou ao local por volta das 19h. Emocionado com a vitória, o advogado relatou que espera reunir toda a classe na OAB.


“É a vitória da cidadania. Na campanha falei que nossa administração será sempre sustentada pelo debate democrático. Convoco todos os 10.600 advogados de Mato Grosso do Sul a participar desta gestão, que é de todos. Convido também meus colegas concorrentes a vir nesta caminhada conosco”.


Como principal ponto de mudança dentro da OAB, Júlio César destaca a integração dos advogados do interior também. “Vamos levar a nossa caravana para o interior, para que os advogados possam opinar e sugerir mudanças na Ordem”.


Em Campo Grande, das seis urnas apuradas, o candidato Júlio César, que é apoiado pela atual presidência, ganhou em todas até às 18h. Em Dourados, os mesários tiveram problemas para apurar duas urnas por conta da checagem da anuidade dos advogados que votaram.


O advogado


Nascido em Dourados, o advogado Júlio Cesar Souza Rodrigues é casado e pai de quatro filhos. Leciona a disciplina de Direito Processual Civil a disciplina em cursos de graduação e especialização há mais de 10 anos.


É Mestre e Doutorando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde apresentou dissertação sobre o tema” Medidas Acautelatórias no Processo de Execução”, perante banca examinadora composta pelos Professores Doutores Donaldo Armelin (orientador), João Batista Lopes e José Roberto dos Santos Bedaque.


A tese resultou em obra jurídica, pela editora Saraiva, no ano de 2002, com edição já esgotada. É membro do Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos e Sociais e tem participado como palestrante e debatedor de Congressos e Simpósios pelo Brasil. Recebeu da Câmara Municipal, em 2010, a Medalha do Mérito Legislativo Advocatício Campo-Grandense.


Editada às 20h15 para acréscimo de informações.

Jornal Midiamax