Geral

Jovens usam redes sociais para organizar manifestação nacional contra experimentos em animais

Divulgado amplamente pelas redes sociais, a II Manifestação Nacional Anti-Vivissecção ocorrerá neste sábado (28), simultaneamente em 47 cidades brasileiras e em 4 países. Em Campo Grande, a concentração dos manifestantes será na entrada principal do Parque das Nações Indígenas, das 15h às 18h. O evento é organizado pelas instituições Weeac e Cadeia para Quem Maltrata […]

Arquivo Publicado em 28/04/2012, às 14h10

None

Divulgado amplamente pelas redes sociais, a II Manifestação Nacional Anti-Vivissecção ocorrerá neste sábado (28), simultaneamente em 47 cidades brasileiras e em 4 países. Em Campo Grande, a concentração dos manifestantes será na entrada principal do Parque das Nações Indígenas, das 15h às 18h.


O evento é organizado pelas instituições Weeac e Cadeia para Quem Maltrata os Animais. O participantes devem comparecer vestidos de preto em sinal de luto e levar velas brancas, que serão acesas durante o protesto, pelos animais que já morreram vítimas dessa crueldade e os que ainda morrerão.


No encontro, também serão exibidos vídeos elucidativos sobre a prática de maus-tratos e será distribuído material educativo sobre a guarda responsável de animais domésticos, tratando sobre a legislação de proteção animal e prevenção contra a zoonoses.


Voluntários do Abrigo dos Bichos participarão do manifesto e convidam todos os campo- grandenses a se unirem na luta contra a utilização de animais em pesquisas científicas. Para mais informações, basta entrar em contato pelo site www.abrigodosbichos.com.br.


Vivissecção


Vivissecção é o ato de dissecar animais vivos para fins de estudo, seja para o treinamento de práticas cirúrgicas, ou para pesquisas científicas. O destino desses, na grande maioria dos casos, é o sacrifício.


É provado pela ciência que a maioria dos medicamentos testados em animais não surtem o efeito desejado no homem. Portanto, antes de comprar qualquer produto, leia a embalagem com atenção e certifique-se de que o produto está livre deste tipo de crueldade.

Jornal Midiamax