Geral

Incêndio no Paulistão mobiliza bombeiros de Campo Grande

Ao redor da loja, moradores disseram estar com medo das chamas se propagarem até as suas casas. A avenida Costa e Silva foi interditada temporariamente.

Arquivo Publicado em 06/12/2012, às 11h14

None
380944095.jpg

Ao redor da loja, moradores disseram estar com medo das chamas se propagarem até as suas casas. A avenida Costa e Silva foi interditada temporariamente.

Um incêndio que ocorre neste momento na loja de brinquedos e artigos de festa Paulistão, localizado na avenida Costa e Silva, em frente ao Terminal Morenão, mobiliza o Corpo de Bombeiros da Capital.


O proprietário, identificado como  Gilberto Cardoso, disse que não sabe do motivo que possa ter causado as chamas e reclamou da demora dos bombeiros. “Achei que as viaturas demoraram muito para chegar”, lamentou.


Gilberto disse ainda que o seu estabelecimento possui seguro, porém o valor seria irrisório diante do estoque e a estrutura. No local, testemunhas disseram que o fogo teve início por volta das 7h.


Ao redor da loja, moradores disseram estar com medo das chamas se prolongarem até as suas casas. A avenida foi interditada temporariamente, enquanto as oito viaturas do 1° e 2° GB trabalham para eliminar as chamas. O Paulistão da Rua Rui Barbosa A Polícia Militar também foi acionada para conter o tumulto no local.


A assessoria de comunicação dos bombeiros disse que as paredes estão abaladas e há risco de desabamento, por isso a interdição. Eles informaram ainda que as guarnições já gastaram mais de 30 mil litros de água e que os militares trabalham com segurança para conter as chamas.


“Eles estão fazendo o possível, mas não há estrutura. Tenho um depósito com muitas máquinas e quando vi o fogo rapidamente acionei os bombeiros”, fala a empresária Marilda Torres de Deus, 60 anos.


A filha de Marilda, Magali Torres de Deus, 43 anos, conta que a família residia no local há cinco anos e pediu ajuda da população para retirar pertences da casa localizada na rua Tomas Edson e os seus animais de estimação.


Os bombeiros pediram o corte de energia. Eles acrescentaram que a fumaça tóxica seria por conta dos inflamáveis, tais como os brinquedos e objetos de plástico. Eles contam ainda com o apoio da Águas Guariroba e a Defesa Civil.

Jornal Midiamax