Geral

Fundação de Cultura lança obras com retratos sul-mato-grossenses

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais (FIC/MS), a Fundação de Cultura do governo do Estado lança no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul no dia 3 de dezembro (segunda) os livros “Campo Grande – Personalidades Históricas”, organizado por Arnaldo Rodrigues Menecozi, “As Amenas Sim”, livro de contos de Vera Tylde de […]

Arquivo Publicado em 30/11/2012, às 14h50

None

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais (FIC/MS), a Fundação de Cultura do governo do Estado lança no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul no dia 3 de dezembro (segunda) os livros “Campo Grande – Personalidades Históricas”, organizado por Arnaldo Rodrigues Menecozi, “As Amenas Sim”, livro de contos de Vera Tylde de Castro Pinto e no dia 4 (terça) os volumes XVII a XXIV da série Memória Sul-Matogrossense, de Hildebrando Campestrini. As solenidades acontecem às 19h45 e a entrada é franca.


Os livros serão lançados em meio a palestras dos professores Paulo Eduardo Cabral (Registro de Memória Recente) e Hildebrando Campestrini (A Memória do Pantanal) e fazem parte da programação do IV Festival do Livro, organizado pelo no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.


A crônica é um genêro literário intimista. “As Amenas Sim” contêm sessenta crônicas de costumes, a maioria autobiográficas. Tais crônicas relatam não só a história de vida da autora, Vera Tylde de Castro Pinto, mas o cotidiano do século XX, rural e urbano em Mato Grosso do Sul, no Brasil e em várias partes do mundo, como países sul-americanos, América do Norte, Europa e África.


A autora enfatiza o bom humor selecionando episódios verídicos, vividos e ou relatados por parentes e amigos, que tornam a vida prazerosa e nos fazem a todos colecionadores de bons momentos, dignos de serem recordados ou relatados. Assim como os cineastas Jacques Tati e Charles Chaplin, Vera Tylde, com sutileza, pinça do dia a dia fatos repletos daquele senso de humor que faz sorrir e leva o leitor a recordar também seus momentos engraçados.


“Quando a mídia e a própria literatura dão uma exagerada ênfase a assuntos graves, reais e tristes, o livro convida o leitor para uma leitura leve, também, real e surpreendentemente alegre. Um verdadeiro hiato de sutileza e prazer”, analisa a autora.


A publicação de “Campo Grande – Personalidades Históricas” valoriza um nicho literário que necessita de revigoramento, ou seja, biografias de personalidades que fizeram a história de Campo Grande e de Mato Grosso do Sul.


Estarão referenciadas na obra, Harry Amorim Costa, Fernando Correa da Costa, Arthur Jorge, José Octávio Guizzo, Maria Constância de Barros Machado, Hércules Maymone, Manoel da Costa Lima, José Antonio Pereira, entre outros.


“Há uma procura considerável para trabalhos escolares, em todos os níveis, incluindo leitores dos mais variados perfis, em busca de biografias dos personagens que marcaram a história campo-grandense e de nosso Estado. O livro servirá de apoio pedagógico para pesquisas escolares e acadêmicas É importante destacar que muitas personagens biografadas nessa publicação apresentam um único registro de seus feitos e contribuição à sociedade”, explica o organizador da obra, Arnaldo Rodrigues Menecozi.


Já os livros da Série Memória Sul-Mato-Grossense, nos volumes de XVII à XXIV, darão continuidade ao compêndio iniciado em 2010 pelo Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul. Com um total de 10 obras, compiladas em 8 volumes, o acervo distribui-se da seguinte forma:


XVII a XIX – Bacia do Rio Paraguai: Geografia e História de 1 a 3, do autor Lécio Gomes de Souza; XX – Gente Pantaneira, de Abílio Leite de Barros; XXI – Lembranças – Nhecolândia, de José de Barros e Carlos Vandoni de Barros; XXII – A pecuária nos pantanais de Mato Grosso, O sul de Mato Grosso e a pecuária nacional, de Astúrio Monteiro de Lima e XXIV – Diário de um febiano, de Humberto Neder.


“Estamos resgatando todas aquelas obras importantes, que não estão disponíveis para o acesso da população em geral. São obras antigas e relatórios de difícil acesso, democratizando cada uma destas publicações”, explica o presidente do Instituto Histórico e Geográfico, o professor e historiador Hildebrando Campestrini.


A Série Memória-Sul-Magrossense servirá de referencial para estudantes e pesquisadores, pois abrange diversas fases históricas de Mato Grosso do Sul, de forma a induzir uma melhor compreensão do desenvolvimento histórico-cultural do Estado.


“O investimento do governo do Estado em obras literárias como estas demonstram a valorização e o incentivo aos autores regionais, a preocupação com o resgate histórico, bem como a produção literária diversificada de Mato Grosso do Sul. Nosso Estado, sem duvidas, é hoje um dos que proporcionalmente mais publicam e divulgam a produção de sua cultura e história em escolas e instituições”, afirma o presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Americo Calheiros.


Serviço: Os livros serão lançados às 19h45 no auditório Acyr Vaz Guimarães, no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul, que fica na Avenida Calógeras, 3000, na Esplanada da Estação Ferroviária.

Jornal Midiamax