Geral

Dona de Bar faz uso de música de ‘apologia’ contra PM em Batayporã

Por volta das 21h50, desta quinta feira (25), a Polícia Militar de Batayporã foi acionada via 190 anonimamente, noticiando que alguns jovens estariam fazendo o uso de entorpecente na Praça Atílio Monteiro, defronte ao Ginásio de Esportes. A PM deslocou até ao local e abordou alguns jovens, com um som em volume consideravelmente alto, segundo […]

Arquivo Publicado em 27/10/2012, às 14h10

None

Por volta das 21h50, desta quinta feira (25), a Polícia Militar de Batayporã foi acionada via 190 anonimamente, noticiando que alguns jovens estariam fazendo o uso de entorpecente na Praça Atílio Monteiro, defronte ao Ginásio de Esportes.


A PM deslocou até ao local e abordou alguns jovens, com um som em volume consideravelmente alto, segundo a PM, que estaria vindo de um estabelecimento da proprietária conhecida popularmente por “Nena”, deixando a PM em situação vexatória, uma vez que as palavras eram ofensivas contra os policiais, que diziam “seus policiais bandos de urubu, filha da puta, que usa da sua farda para invadir nossa favela, mais aqui vocês não tem vez, a lei aqui é nossa”, soa em um som.


Após abordagem e checagem dos suspeitos, nada foi constatado em desfavor dos mesmos e foram liberados, quando a PM deslocou até estabelecimento comercial e procurou pelo responsável, em seguida se apresentou como proprietária uma mulher de 39 anos, onde foi perguntado referente ao alvará de funcionamento e a mesma apresentou prontamente.


Em seguida, a PM pediu a licença para a exploração da máquina de música Juke-Box, a proprietária disse à polícia que não possuía, apenas recebeu a máquina de uma pessoa chamada Elivelton e que este passa a cada 15 dias para recolher os lucros.


Diante do exercício ilegal da atividade e do desacato por conta da situação vexatória, a PM deu voz de prisão e encaminhou a mulher até a Delegacia de Polícia local, juntamente com a máquina Juke-Box.

Jornal Midiamax