Geral

Cidades Brasileiras: soluções de drenagem urbana

Durante o IV Seminário Cidades Brasileiras: Desejos e Possibilidade, será apresentado um relato de experiência sobre as “Soluções de drenagem urbana”. Quem fará a apresentação, hoje (30), a partir das 11h30, será o professor da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) Enio Arriero Shinma, com experiência na simulação computacional de qualidade da água para indústrias, companhias […]

Arquivo Publicado em 30/11/2012, às 09h44

None

Durante o IV Seminário Cidades Brasileiras: Desejos e Possibilidade, será apresentado um relato de experiência sobre as “Soluções de drenagem urbana”. Quem fará a apresentação, hoje (30), a partir das 11h30, será o professor da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) Enio Arriero Shinma, com experiência na simulação computacional de qualidade da água para indústrias, companhias de saneamento e prefeituras, e também na simulação computacional de chuvas para determinação de estruturas de amortecimento de cheias.


1 – Quais as dificuldades enfrentadas pelas cidades de médio e grande porte em relação à drenagem urbana? Por que isso ocorre?


Enio Arriero Shinma – No Brasil, a tendência da maioria das cidades é ter sua população gradativamente aumentada, o que acarreta um aumento da ocupação de áreas. Essa ocupação de áreas acarreta em impermeabilização de solo e, consequentemente, em aumento do escoamento superficial. Em relação à drenagem urbana, as dificuldades, ou desafios, estão relacionados ao equilíbrio entre o controle do incremento do escoamento superficial e a necessidade de impermeabilização do solo. Assim, torna-se necessário o uso de tecnologia para o planejamento, monitoramento, manutenção e operação dos novos sistemas de drenagem, que devem possuir soluções construtivas e não-construtivas.


2 – Quais são as ferramentas urbanísticas que podem solucionar este problema?


Enio Arriero Shinma – As soluções passam pelo uso de ferramentas computacionais de planejamento e gestão. A necessidade de uma obra (solução construtiva) ou de legislação (solução não-construtiva) pode ter seus efeitos verificados em um modelo computacional. Várias hipóteses ou cenários podem ser testados no modelo computacional antes de serem implementadas. Alguns exemplos de uso de modelos computacionais são, por exemplo: testar o efeito de uma determinada chuva na drenagem, testar o efeito de um sistema de amortecimento de cheias, testar o efeito da impermeabilização no aumento do escoamento superficial etc. Após as análises em modelos computacionais, as relações causa e efeito de problemas são identificadas, tornando a construção de obras mais eficiente, assim como toda a gestão do sistema de drenagem.


3 – Como a população pode ajudar a diminuir os problemas de drenagem urbana?


Enio Arriero Shinma – A população tem um papel fundamental, pois mesmo sem saber, é a principal causadora do aumento do escoamento superficial. Toda pessoa que utiliza espaços com solo impermeabilizado contribui para o aumento das cheias. Portanto, a população pode contribuir com ações desde a simples escolha de manter uma área com grama em vez de calçada, construir dispositivos de infiltração e até a construção de reservatórios de amortecimento em suas residências.

Jornal Midiamax