Geral

Casal de idosos e neto ficam reféns de bandidos durante assalto em Campo Grande

Os bandidos invadiram a residência e mantiveram os três em cárcere privado por cerca de três horas, enquanto faziam "a limpa" na casa.

Arquivo Publicado em 26/07/2012, às 12h44

None
1234562399.jpg

Os bandidos invadiram a residência e mantiveram os três em cárcere privado por cerca de três horas, enquanto faziam “a limpa” na casa.

Um casal de idosos e o neto de sete anos foram mantidos reféns, pelo período de três horas, na noite de ontem (26), durante assalto na residência localizada no bairro Jardim Panamá, em Campo Grande.


A idosa M.A.S., 64, informou que ao chegar com o neto da escola, no final da tarde, viu pegadas pela casa. Contudo, o assalto só foi anunciado por volta das 19h40. A família que veio a Capital em busca de tranquilidade, já está tomando providências para mudar de cidade.


De acordo com a vítima, ao chegar em casa, por volta das 17h30, ela percebeu que o chão estava cheio de marcas de pegadas. Logo em seguida recebeu uma ligação de uma filha de São Paulo que sentiu a voz da mãe estranha, ao que ela respondeu que estava com medo e contou o ocorrido.


Por volta das 19h40, quando ela colocou o neto para dormir, escutou um barulho e foi até o quarto dele. Ao entrar percebeu que a janela estava aberta. Quando fechou a janela, viu que a porta do guarda roupas também estava aberta. Foi ai que ela se deparou com um dos bandidos.


“Ele estava entre a porta do quarto e do guarda roupas, todo encapuzado. Mandou que eu ficasse quieta senão ele iria me matar, mas eu me assustei e dei um grito tão alto que acordei o meu neto. Ele pulou no meu colo na mesma hora”, disse M.A.S..


Um dos bandidos trancou a idosa e a criança no quarto e outros dois assaltantes renderam o marido dela, R.C.C., 71, que estava em outro cômodo da casa, colocando-os todos juntos. Segundo a vítima, foi ai que começaram a festa pela casa.


“Eles tomaram leite com chocolate, esquentaram a janta, comeram sucrillos, iogurte e abriam a porta do quarto a todo momento, fazendo ameaças”, contou. Depois os três entraram no quarto e ordenaram as vítimas para deitarem no chão.


Os bandidos reviraram a casa, levaram eletroeletrônicos e roupas dentro do carro da família, um Ford Fiesta. O idoso seguiu no carro com eles. De acordo com relatos da vítima, dentro do carro os bandidos utilizaram droga em sua presença e se dirigiram para o bairro Jardim Pantanal, na região do Zé Pereira.


Lá eles descarregaram os pertences roubados, local registrado como sendo a casa do menor de 14 anos, conhecido como Douglinhas. Depois eles fugiram a pé e abandonaram o idoso. Enquanto isso, a esposa dele, que ficou em casa, acionou a polícia.


Com as características a polícia conseguiu identificar Douglinhas e foi até a casa dele, encontrando o menor nas proximidades, usando roupas da família e com uma mala cheia de pertences das vítimas. Ele foi encaminhado para a delegacia e os outros dois, que viram a ação, fugiram em meio ao matagal.


Douglinhas tem mais de 32 passagens pela polícia. Mais uma vez o seu pai foi buscá-lo na delegacia. Emocionado, ele diz sentir muita vergonha das atitudes do filho. “Se ele morrer durante um crime não vai pagar nem um segundo pelas coisas que já fez”, lamenta o pai.


A idosa contou que chegou em Campo Grande recentemente, vinda de São Paulo, a procura de tranquilidade. “Em São Paulo a gente tinha uma padaria que era assaltada frequentemente e aqui, que pensávamos que ia haver tranquilidade, aconteceu coisa pior. Já estamos tomando providências para vender nossa casa e ir embora daqui”, contou.

Jornal Midiamax