Geral

Bovespa sobe mais de 1% e dólar fecha quase estável nesta quarta-feira

O principal índice da Bovespa encerrou o pregão desta quarta-feira (18) em alta, acompanhando o comportamento dos índices de Wall Street, que subiram após dado de moradias e resultados corporativos nos Estados Unidos. O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, fechou em alta de 1,25%, aos 54.583,13 pontos. Veja ainda no UOL a cotação das […]

Arquivo Publicado em 18/07/2012, às 20h50

None

O principal índice da Bovespa encerrou o pregão desta quarta-feira (18) em alta, acompanhando o comportamento dos índices de Wall Street, que subiram após dado de moradias e resultados corporativos nos Estados Unidos.


O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, fechou em alta de 1,25%, aos 54.583,13 pontos. Veja ainda no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.


O dólar fechou quase estável ante o real nesta quarta-feira, com investidores ainda cautelosos em relação à economia norte-americana e à desaceleração mundial. Com isso, evitaram fazer grandes apostas, o que colabora para manter o dólar comportado e dentro de uma banda informal de R$ 2 a R$ 2,10.


A moeda norte-americana fechou com variação negativa de 0,03%, cotado a R$ 2,022 na venda. Segundo profissionais de mercado, o discurso do presidente do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, Ben Bernanke, e informações do Livro Bege não trouxeram novidades, mas continuarem mostrando que o crescimento da economia norte-americana ainda deve ser modesto.


O principal índice da Bovespa encerrou o pregão desta quarta-feira (18) em alta, acompanhando o comportamento dos índices de Wall Street, que subiram após dado de moradias e resultados corporativos nos Estados Unidos.


O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, fechou em alta de 1,25%, aos 54.583,13 pontos. Veja ainda no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.


O dólar fechou quase estável ante o real nesta quarta-feira, com investidores ainda cautelosos em relação à economia norte-americana e à desaceleração mundial. Com isso, evitaram fazer grandes apostas, o que colabora para manter o dólar comportado e dentro de uma banda informal de R$ 2 a R$ 2,10.


A moeda norte-americana fechou com variação negativa de 0,03%, cotado a R$ 2,022 na venda. Segundo profissionais de mercado, o discurso do presidente do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, Ben Bernanke, e informações do Livro Bege não trouxeram novidades, mas continuarem mostrando que o crescimento da economia norte-americana ainda deve ser modesto.


Ações do Banco do Brasil tiveram maior alta
Entre as ações do Ibovespa, a maior alta foi registrada pelas ações do Banco do Brasil (BBAS3), com ganhos de 6,98%, a R$ 19,47, na máxima do dia. Dessa forma, o papel anulou as perdas que acumulava na semana, passando a ter alta de 3,5%.


No setor de bancos, Itaú Unibanco (ITUB4) teve ganhos de 2,39%, a R$ 29,59, enquanto Santander (SANB11) subiu 2,97%, a R$ 14,55.


Construtoras também influenciaram positivamente, com Gafisa (GFSA3) em alta de 4,72%, a R$ 2,44, e PDG Realty (PDGR3) com ganhos de 3,48%, a R$ 3,27.


Entre as blue chips, a preferencial da Petrobras (PETR4) subiu 0,42%, a R$ 19,33, enquanto a da Vale (VALE5) teve leve queda de 0,36%, a R$ 38,60.


Na outra ponta, as ações de telecomunicações influenciaram negativamente. A preferencial da Oi (OIBR4) teve queda de 4,48%, a R$ 9,17, enquanto a da TIM (TIMP3) perdeu 2,77%, a R$ 9,46.


Bolsas internacionais
Os mercados acionários europeus fecharam com a maior alta em duas semanas nesta quarta-feira, impulsionados por uma sequência de ganhos corporativos melhores do que o esperado nos dois lados do Atlântico, que ajudaram a elevar o apetite por risco dos investidores para a sua máxima em quase quatro meses.


As ações asiáticas caíram depois que o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, mostrou uma visão pessimista sobre a economia norte-americana, mas esperanças de que o banco central dos Estados Unidos está se aproximando de adotar mais medidas de estímulo limitou as perdas do dia.

As ações chinesas tiveram o pior desempenho na região, puxadas pelo setor imobiliário, após dados que mostraram outra queda nos preços de imóveis terem provocado uma realização de lucros.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, recuou 1,11%, enquanto as ações do setor imobiliário em Xangai perderam mais de 3%. No entanto, o índice de Xangai teve alta de 0,37%. (Com informações da Reuters)



Jornal Midiamax