Geral

Bombeiros encontram corpo carbonizado em favela incendiada em SP

O incêndio que atingiu a favela do Moinho localizada sob o viaduto Engenheiro Orlando Murgel, em Campos Elísios, região central de São Paulo, deixou pelo menos uma vítima fatal, segundo informações do Corpo de Bombeiros. A corporação informou que um corpo carbonizado foi encontrado durante o processo de rescaldo. Não há informações sobre a identidade […]

Arquivo Publicado em 17/09/2012, às 13h14

None
419855473.jpg

O incêndio que atingiu a favela do Moinho localizada sob o viaduto Engenheiro Orlando Murgel, em Campos Elísios, região central de São Paulo, deixou pelo menos uma vítima fatal, segundo informações do Corpo de Bombeiros. A corporação informou que um corpo carbonizado foi encontrado durante o processo de rescaldo. Não há informações sobre a identidade da vítima.x


O incêndio começou por volta das 7h de hoje e, segundo a corporação, teria sido provocado após uma briga entre usuários de drogas que frequentam o local. Foram enviadas 18 viaturas para combater as chamas e, após o controle dos focos de incêndio, foi iniciado o trabalho de rescaldo. A comunidade fica em um local de difícil acesso, entre as linhas usadas pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Não há informações sobre feridos.


Em dezembro de 2011, a mesma favela foi atingida por um incêndio de grandes proporções, que deixou uma pessoa morta. Este é o 34º incêndio de grandes proporções registrado em favelas da capital paulista desde janeiro deste ano, o 68º contabilizado pelos bombeiros. Em 2008, o Corpo de Bombeiros registrou 130 ocorrências e, em 2009, 122. Já no ano de 2010, 91 incêndios foram combatidos, enquanto, em 2011, houve 79 casos registrados.


Reflexos do incêndio


A CPTM informou que o tráfego de trens da Linha 8-Diamante foi interrompido por volta das 7h20 e, mais tarde, por volta das 7h40, a Linha 7-Rubi também foi interditada.


Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o viaduto sobre a favela foi interditado para o trabalho dos bombeiros. Um bloqueio operacional foi montado na ponte da Casa Verde, oferecendo opções de desvios para os motoristas.


A SPTrans informou que o incêndio afetou a circulação de 17 linhas que utilizam o viaduto Engenheiro Orlando Murgel. De acordo com a empresa, os coletivos passaram a usar desvios para poder atender aos passageiros. No sentido centro, os ônibus seguiam o trajeto normal até a ponte da Casa Verde, onde desviavam pela Marginal Tietê, seguindo pelas ruas Anhaia, Silva Pinto e Alameda Nothmann, até retornarem para avenida Rio Branco.


No sentido bairro, de acordo com a SPTrans, os veículos seguiam pela avenida Duque de Caxias, rua Mauá, viaduto General Couto de Magalhães, rua José Paulino, rua Silva Pinto, rua dos Italianos, rua Sérgio Tomás, até retornarem para a avenida Rudge.


Por volta das 10h, a cidade registrava 115 km de lentidão nas principais ruas e avenidas. De acordo com a CET, o pior trecho estava na pista local da marginal Tietê, no sentido Castello Branco, que registrava 10,5 km de congestionamento entre o Hospital Vila Maria e a Ponte Júlio de Mesquita Neto.

Jornal Midiamax