Geral

Barrichello e Helinho batem na última volta e não completam prova em Long Beach; Power vence

Neste domingo, Will Power venceu a etapa de Long Beach da Fórmula Indy. O piloto, que teve de economizar combustível nos giros finais, segurou o francês Simon Pagenaud até os últimos metros da corrida. Takuma Sato, que vinha em terceiro, rodou na última volta e cedeu seu lugar no pódio para James Hinchcliffe, já que […]

Arquivo Publicado em 15/04/2012, às 22h53

None

Neste domingo, Will Power venceu a etapa de Long Beach da Fórmula Indy. O piloto, que teve de economizar combustível nos giros finais, segurou o francês Simon Pagenaud até os últimos metros da corrida. Takuma Sato, que vinha em terceiro, rodou na última volta e cedeu seu lugar no pódio para James Hinchcliffe, já que Ryan Hunter-Reay, que herdaria a posição do japonês, foi punido com 30s após a corrida.


Rubens Barrichello chegou a sonhar com pódio após assumir a terceira colocação faltando cerca de 20 voltas para o fim. Porém, o brasileiro teve de voltar aos boxes para colocar mais combustível nos giros finais.


Já sem chances de pódio, Rubinho, que completaria a prova em oitavo, foi atingido por Helio Castroneves nos metros finais da última volta. Por conta do acidente, os dois brasileiros não conseguiram completar a prova.


O único brasileiro a cruzar a linha de chegada, Tony Kanaan ficou com a quarta colocação por conta da punição dada a Hunter-Reay.


A corrida


A prova já começou com bandeira amarela logo no início, depois que Josef Newgarden, que largou em segundo, tentou tomar a liderança de Dario Franchitti e foi parar no muro na primeira curva.


Com o reinício da prova, Barrichello, que largou a 22º, começou a ganhar posições e chegou a ser o 17º. Kanaan, que também havia conseguido uma ultrapassagem após sair em 19º, apostou em uma estratégia diferente e foi o primeiro a parar nos boxes.


Na 20ª volta, com nova bandeira amarela após acidente de Sebastien Bourdais, muitos pilotos aproveitaram para irem aos boxes – Rubinho entre eles. A paralização foi boa para Helinho, que subiu para a sexta colocação.


Nos giros seguintes, uma série de acidentes e bandeiras amarelas beneficiou os brasileiros. A partir da metade da prova, Helinho, Barrichello e Kanaan passaram a brigar entre os dez primeiros colocados.


Na 53ª volta, Castroneves, que havia caído para a 13ª colocação após parada nos boxes, se envolveu em toque com Briscoe após fechar a porta para o adversário em uma curva. No entanto, o brasileiro não foi prejudicado pelo incidente.


Barrichello partiu para seu pit no giro seguinte. O piloto brasileiro voltou à pista na 16ª colocação e se viu em boa situação, já que a maioria dos adversários que estavam em sua frente ainda teria de parar.


A corrida começou a ser decidida na última bateria de paradas. Kanaan foi para o pit na 62ª volta, uma antes de Castroneves. Com isso, Barrichello subiu para a sexta colocação, com Simon Pagenaud na liderança, seguido por Will Power.


Com bela ultrapassagem sobre Justin Wilson, Barrichello, beneficiado pela última rodada de paradas, subiu para a quarta colocação. Em seguida, no giro 71, o brasileiro ganhou também a posição de Pagenaud, que foi para os boxes. No entanto, duas voltas depois, o francês tomou a terceira posição.


Barrichello, porém, teve de voltar aos boxes para colocar o combustível necessário para chegar ao fim da corrida e voltou para a pista em décimo, justamente entre os compatriotas Tony Kanaan e Rubens Barrichello. Enquanto isso, Pagenaud foi para cima de Sato e tomou a segunda colocação do japonês.


Mesmo economizando combustível, Power conseguiu segurar o ímpeto do francês até os últimos metros e segurou a primeira colocação. Na última volta, ainda sobrou tempo para Castroneves, que vinha em nono, atingir Barrichello, que completaria a prova em oitavo. Nenhum dos dois brasileiros conseguiu cruzar a linha de chegada.


Jornal Midiamax