Geral

Pedaço de madeira no meio da rua serve de ‘alerta’ para motoristas em Campo Grande

Um buraco com pedras e um pedaço de madeira de quase dois metros está testando o reflexo e tirando o sossego de quem passa na Rua João Rosa Pires, próximo a Praça das Araras, em Campo Grande. Segundo informações de moradores e trabalhadores da região, há cerca de 15 dias a madeira que serve de […]

Arquivo Publicado em 13/03/2011, às 21h53

None
1662684957.jpg

Um buraco com pedras e um pedaço de madeira de quase dois metros está testando o reflexo e tirando o sossego de quem passa na Rua João Rosa Pires, próximo a Praça das Araras, em Campo Grande. Segundo informações de moradores e trabalhadores da região, há cerca de 15 dias a madeira que serve de “alerta” está no local.

As chuvas que atingiram quase 330 mm em Campo Grande durante toda a semana passada prejudicaram grande parte de vias públicas, com buracos que muitas vezes parecem voçorocas.

“Complicado isso aí de noite, eu que trabalho aqui perto e passo por aqui todos os dias às vezes eu esqueço [do buraco]”, conta o garçom Willian Sobrinho da Silva, de 27 anos.

“É errado, colocar essas coisas. Pode causar acidente”, reclama o cozinheiro Oswaldo Esteves, de 52.

“Esses dias nós íamos colocar um boneco pescando no buraco”, ironiza o também garçom Moisés Pacheco, de 28.

Em outras vias. a reportagem também constatou o estragos das chuvas como nas avenidas Fernando de Noronha, Guaicurus, Ernesto Geisel e Rachid Neder.

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, decretou situação de emergência no município no último dia 10. A medida foi tomada devido aos estragos causados pelas chuvas intensas que atingiram a capital de Mato Grosso do Sul.

O prefeito listou estragos nas seguintes áreas de Campo Grande:

Nova Lima – Erosão, drenagem e pavimentação asfáltica;

Laranjais – Erosão, drenagem e pavimentação asfáltica;

Ernesto Geisel – Paredão no córrego desde a Obra do Segredo até a Rua Salgado Filho;

Zona Rural – Estradas CG-342, CG-324, CG-112, CG-140, CG-246 e estrada vicinal de Rochedinho

O decreto limita a situação de emergência às áreas listadas e, segundo a Prefeitura, a documentação de comprovação dos danos já foram produzidos de acordo com os critérios do Conselho Nacional de Defesa Civil.

Jornal Midiamax