Geral

Deputado defende rigor no comércio de bebidas alcoólicas

Silêncio e emoção marcaram a sessão legislativa desta terça-feira (22) na ALMS. Ao apresentar moção de pesar pela morte brutal do segurança de 23 anos, Jeferson Bruno Gomes Escobar, ocorrida no último dia 19, em frente a uma casa noturna de Campo Grande, o Deputado Paulo Duarte (PT), acompanhado de todos os parlamentares da Casa, […]

Arquivo Publicado em 23/03/2011, às 00h43

None

Silêncio e emoção marcaram a sessão legislativa desta terça-feira (22) na ALMS. Ao apresentar moção de pesar pela morte brutal do segurança de 23 anos, Jeferson Bruno Gomes Escobar, ocorrida no último dia 19, em frente a uma casa noturna de Campo Grande, o Deputado Paulo Duarte (PT), acompanhado de todos os parlamentares da Casa, se solidarizou com a dor da família do segurança, que também compareceu ao plenário para pedir justiça.


Em discurso simples, mas contundente, a tia de Brunão, como era conhecido o rapaz, pediu que as autoridades competentes e que investigam o caso sejam justas e que o autor do crime não fique impune. “Estamos nesse eterno clamor para que seja feita justiça nesse caso”, pede Ana Maria Vieira.


Após apresentar a moção, o Deputado Paulo Duarte (PT) defendeu, na tribuna, maior rigor na fiscalização da venda de bebidas alcoólicas. Para Paulo Duarte, hoje há um culto à bebida. O grande atrativo das festas deixou de ser a diversão e o congraçamento e passou a ser o fato de existir um consumo desenfreado de álcool. O deputado mencionou, em especial, as festas com o chamado “open bar”, onde vários tipos de bebidas alcoólicas são servidas à vontade.


“Não existe critério nessas festas. A própria Lei Seca só existe no papel, não existe fiscalização”, afirma Paulo Duarte, se referindo ao grande número de adolescentes e jovens que se divertem de forma duvidosa nas casas noturnas de Campo Grande. Ainda de acordo com o deputado, o problema não é só a comercialização indiscriminada do produto, mas a antecipação, a precocidade e a banalização da violência em Campo Grande, questões que vêm acompanhadas da problemática do álcool e das drogas.


Paulo Duarte defende que devem ser adotadas campanhas mais agressivas contra a venda de bebidas alcoólicas, a exemplo das medidas tomadas para diminuir a venda de cigarro. “As televisões mostram claramente um incentivo à bebida, e o que vemos hoje são pessoas que saem para dirigir sem agüentar ficar em pé”, finaliza.

Jornal Midiamax