Geral

Corinthians adota pressão total para garantir o título

Na dependência apenas de suas forças, o Corinthians quer fazer valer a força dentro do Pacaembu – é o melhor mandante, com 40 pontos – para não ter de se preocupar com o jogo entre Vasco e Flamengo, no Rio. O time do técnico Tite encara o Palmeiras, às 17 horas, podendo até empatar para […]

Arquivo Publicado em 03/12/2011, às 21h58

None

Na dependência apenas de suas forças, o Corinthians quer fazer valer a força dentro do Pacaembu – é o melhor mandante, com 40 pontos – para não ter de se preocupar com o jogo entre Vasco e Flamengo, no Rio. O time do técnico Tite encara o Palmeiras, às 17 horas, podendo até empatar para ser campeão do Brasileirão 2011.

E para soltar o grito de campeão entalado na última rodada, Tite vai adotar a tática de sufocar o rival desde o início, aproveitando o apoio de 37 mil vozes.

Assim que Wilson Luiz Seneme apitar o início de jogo, o torcedor notará um time marcando sob pressão e apostando na velocidade de Willian pela direita e Jorge Henrique pela esquerda.

Tite passou aos jogadores que pretende sair na frente do placar para fazer o Palmeiras se abrir e, assim, tentar aproveitar os contragolpes.

“Tudo é importante agora. Não adianta querer fórmula mágica em momento decisivo. Vamos ter de repetir o que fizemos nos treinamentos e nos jogos. o cara está condicionado. Quero que a equipe repita organização de bola parada e tomara que tenha felicidade de repetir desempenho”, prega Tite.

Movimentação constante é outra estratégia para não esbarrar numa defesa sólida.

“Não podemos ficar pensando no empate no início do jogo. Se a gente mudar o jeito de jogar, vai deixar de repetir o que trouxe até agora. Temos 21 vitórias. É olhar para trás e ver o que nos trouxe até aqui. Se quiser modificar agora vai ser ruim”, descreve.

A igualdade, segundo Tite, só passará a valer na parte final do clássico. “Se estiver faltando 15 minutos, aí começa a quebrar o ritmo do jogo. A equipe tem de ser o Corinthians, do jeito e a cara que chegou até aqui.”

Jornal Midiamax