Geral

OEA pede adiamento do resultado das eleições no Haiti

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu ao governo do Haiti que adie o anúncio do resultado final das eleições no país, previsto para a próxima segunda-feira (20), para que uma equipe de técnicos da organização possa auxiliar na contagem dos votos. Insulza fez o pedido ao presidente do Haiti, […]

Arquivo Publicado em 18/12/2010, às 17h35

None

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu ao governo do Haiti que adie o anúncio do resultado final das eleições no país, previsto para a próxima segunda-feira (20), para que uma equipe de técnicos da organização possa auxiliar na contagem dos votos.

Insulza fez o pedido ao presidente do Haiti, René Préval, que há dois dias solicitou ajuda técnica da OEA na verificação do resultado do processo eleitoral, marcado por desorganização, atrasos e denúncias de irregularidades. De acordo com a organização, Préval informou que levará o pedido ao Conselho Eleitoral Provisório (CEP) do Haiti.


A previsão é que os técnicos da OEA viajem ao Haiti na próxima semana para se juntarem à Missão de Observação Eleitoral Conjunta. A OEA cobra acesso aos dados para checar se houve irregularidades. “A missão só terá êxito se for permitido ter acesso a todas as informações para que se possa fazer uma avaliação independente”, disse o secretário-geral adjunto da OEA, embaixador Alberto Ramdin.


Os resultados preliminares indicam que a ex-primeira-dama Mirlande Manigat, da Assembleia dos Democratas Nacionais Progressivos, e o candidato do governo, Jude Celestin, da Coalizão Unite, vão disputar o segundo turno, marcado para 16 de janeiro.


Depois dessa divulgação, manifestantes protestaram na capital Porto Príncipe. Eles acusam o partido do governo de favorecer Jude Celestin.

Jornal Midiamax