Geral

Mato Grosso do Sul pode definir preço mínimo para o leite

O pesquisador da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora/MG), Doutor José Luiz Bellini Leite, vem a Campo Grande apresentar a metodologia de formação do preço mínimo do leite pago ao produtor e à indústria. A implantação da metodologia acontecerá em conjunto com a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite de Mato Grosso do […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O pesquisador da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora/MG), Doutor José Luiz Bellini Leite, vem a Campo Grande apresentar a metodologia de formação do preço mínimo do leite pago ao produtor e à indústria. A implantação da metodologia acontecerá em conjunto com a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite de Mato Grosso do Sul, em uma parceria inédita no Brasil.

Desenvolvida pela Embrapa de Juiz de Fora, a metodologia está sendo implementada pela Federação de Agricultura de Goiás (Faeg) e cada estado deverá ter um preço mínimo diferenciado, que esteja de acordo com suas particularidades.

Coordenador do Núcleo Temático do Agronegócio do Leite na Embrapa , Bellini irá explicar os métodos de formação do preço mínimo aos membros da Câmara Setorial do Estado, na sede da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), no próximo dia 18, em horário a ser definido. No dia 19, ele se reúne com todos os membros da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite e faz apresentação da metodologia na Secretaria de Estado de Produção, partir das 8h.

“Com a formação do preço mínimo do leite, organizando a cadeia produtiva, aumenta o poder de barganha do consumidor. Ele vai saber quanto recebe o produtor e quanto a ganha a indústria. Assim, na hora de comprar o produto no supermercado, ele tem condições de avaliar se o preço final é abusivo ou não”, explicou a assessora econômica da Famasul, Adriana Mascarenhas. As informações são do Escritório de Imprensa.

Jornal Midiamax