Geral

Agropecuária faz segundo leilão de bezerros rastreados na Capital

O Circuito de Leilões Influência CFM-Jacarezinho volta a Campo Grande no dia 28, no Parque de Exposição “Laucídio Coelho”, para comercializar 1,5 mil bezerros, 80% rastreados. As agropecuárias CFM e Jacarezinho já realizaram em abril, durante a 64ª Expogrande, maior feira agropecuária de Mato Grosso do Sul, o primeiro leilão de animais certificados pelo Sistema […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O Circuito de Leilões Influência CFM-Jacarezinho volta a Campo Grande no dia 28, no Parque de Exposição “Laucídio Coelho”, para comercializar 1,5 mil bezerros, 80% rastreados. As agropecuárias CFM e Jacarezinho já realizaram em abril, durante a 64ª Expogrande, maior feira agropecuária de Mato Grosso do Sul, o primeiro leilão de animais certificados pelo Sistema Integrado de Rastreabilidade Bovina (SIRB), criado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento.

Na época foram colocados à venda 1.225 animais, 60% rastreados, ou seja, com procedência comprovada, padronização de manejo, informações sobre condições corporais, genética e sobre vacinação. Foram movimentados R$ 408 mil. O circuito já passou por Cuiabá, São José do Rio Preto e Araçatuba agora retorna a capital de Mato Grosso do Sul.

Desde dezembro, as agropecuárias Jacarezinho e CFM, que no ano passado comercializaram juntas 4 mil reprodutores nelore, iniciaram em parceria o projeto de rastreamento, antecipando-se à exigência do SIRB que a União Européia fará em julho e também colocando no mercado animais rastreados. Foram investidos R$ 75,77 por animal na administração de dados do SIRB, além de R$ 60 por cabeça a serem desembolsado no ano para manutenção de inscrição. Só as fazendas Lajeado e Estrela, da CFM, têm 10 mil bezerros certificados, o que corresponde a um investimento de R$ 1,3 milhão.

Com rebanho de corte de 75 mil cabeças, a agropecuária CFM está sediada em São José do Rio Preto (SP), tem capital de origem britânica e no Brasil atua desde 1908. Já a Jacarezinho pertence ao Grupo Grandene e é dona 27 mil cabeças e fica instalada em Valparaíso

Jornal Midiamax