Esportes

Verstappen aproveita ausência de Leclerc no grid, ganha GP de Mônaco e lidera F1

Piloto da Red Bull Racing garantiu a liderança ao fechar Bottas na largada; Hamilton foi apenas o sétimo colocado

Agência Estado Publicado em 23/05/2021, às 11h51

Verstappen conquistou sua 12ª vitória na Fórmula 1 nas ruas do Principado de Mônaco
Verstappen conquistou sua 12ª vitória na Fórmula 1 nas ruas do Principado de Mônaco - Red Bull Racing Honda/Divulgação

Decepcionado num dia, feliz da vida no outro. Max Verstappen saiu bastante triste do treino de sábado (22) ao não conseguir a pole position por causa de batida de Charles Leclerc quando fazia volta rápida. Neste domingo (23), viu o monegasco quebrar e ficar fora do grid, ganhou de ponta a ponta o GP de Mônaco, em Montecarlo, e assumiu a primeira colocação do Mundial de Pilotos da Fórmula 1, superando o inglês Lewis Hamilton, apenas o sétimo na corrida.

O novo líder recebeu a bandeirada da tenista Serena Williams e subiu para 105 pontos com a segunda vitória na temporada, sua 12ª na Fórmula 1. Hamilton aparece em segundo, com 101, e só teve a comemorar o ponto extra pela volta mais rápida. Num GP sem pilotos da Mercedes entre os melhores, completaram as primeiras posições Carlos Sainz, da Ferrari, pela primeira vez no pódio pela equipe, e Lando Norris, da McLaren.

Antes de subir ao pódio de Mônaco pela primeira vez na carreira, Verstappen recebeu os parabéns da equipe pelo rádio e, assim que deixou o carro, correu para os braços dos mecânicos da Red Bull, extremamente feliz com a vitória e, sobretudo, a liderança.

A vitória da Red Bull, aliada ao quarto lugar de Sérgio Perez e o abandono de Valtteri Bottas, ainda levou a equipe ao topo do Mundial de Equipes pela primeira vez desde 2014, superando a Mercedes, que viveu um domingo para se esquecer, por um ponto: 149 a 148.

Verstappen comemorou muito a conquista no tradicional GP de Mônaco. “Sempre quis ganhar esse GP, desde criança. Estar aqui hoje me deixa orgulhoso, aqui é muito especial”, festejou o holandês. “Uma corrida maravilhosa, que sempre esteve sob controle. Foi muito bom”.

Ao “ganhar” a pole position com a ausência de Leclerc no grid por causa de problema mecânico no carro da Ferrari, o holandês largou com o carro inclinado para evitar o ataque de Bottas na largada. E a estratégia deu certo.

Carro inclinado e liderança nas ruas de Monte Carlo

[Max Verstappen comemora vitória no Grande Prêmio de Mônaco neste domingo, 23 de maio]
Max Verstappen comemora vitória no Grande Prêmio de Mônaco neste domingo, 23 de maio. (Foto: Red Bull Racing Honda/Reprodução)

Largar bem e manter a primeira posição numa pista de difícil ultrapassagem nas ruas do Principado de Mônaco era vital para as pretensões da Red Bull na busca pela liderança do Mundial de Pilotos, já que Hamilton estava apenas em sétimo no grid, antes da confirmação da ausência do pole Leclerc. O inglês saiu em sexto e por lá permaneceu nas primeiras voltas, sem trocas de posição entre os primeiros.

O piloto monegasco viu seu carro parar de funcionar antes de a corrida começar e a Ferrari revelou que foi por causa de um problema no eixo de transmissão. A informação é que não havia tempo hábil para o conserto. Sem jamais conseguir completar uma prova no circuito caseiro, Leclerc desta vez nem largou.

Verstappen, tranquilo na frente, logo abriu boa vantagem sobre Bottas e disputava com seu companheiro de equipe, o mexicano Sérgio Perez, em oitavo, a melhor volta do GP de Mônaco que renderia um precioso ponto a mais. Revezavam a marca até Hamilton a cravá-la, no fim.

A Mercedes optou por troca de estratégia e usar pneus duros em seus pilotos com Hamilton fazendo a troca na volta 30. A estratégia não deu certo e o inglês perdeu a posição nos boxes para Pierre Gasly. Ficou muito irritado. Para completar o desastroso trabalho, a porca do pneu direito de Bottas travou e o finlandês teve de abandonar a corrida.

Com a queda de Hamilton para o sétimo lugar e o abandono de Bottas, a Red Bull assumia a liderança do Mundial de Construtores, algo inimaginável antes da largada. Mas queria mais e Perez partiu para o ataque sobre Lando Norris nas dez últimas voltas.

Em corrida na qual as ultrapassagens eram coisa rara, senão pelos retardatários abrindo passagem, as estratégias de boxe foram determinantes para as posições finais. Mesmo assim, Perez ainda garantiu uma emoção final com seu ataque à McLaren, sem ter êxito em ultrapassar e conformando-se com o quarto lugar.

Hamilton optou por nova troca para tentar o ponto extra de melhor volta. Com pneu macio, queria desbancar o tempo de Yuki Tsunoda, da AlphaTauri. E conseguiu logo na segunda tentativa. Mesmo assim, terminou com quatro a menos que Verstappen. Terceiro na corrida, Lando Norris também subiu para a posição no Mundial de Pilotos, agora com 56 e na frente de Bottas, com 47.

Veja a classificação do GP de Mônaco:

  • 1º) Max Verstappen (HOL/Red Bull), em 1h38min56s620
  • 2º) Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 8s968
  • 3°) Lando Norris (GBR/McLaren), a 19s427
  • 4º) Sergio Perez (MEX/Red Bull), a 20s490
  • 5º) Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin), a 52s591
  • 6º) Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), a 53s596
  • 7º) Lewis Hamilton (GBR/Mercedes), a 68s231
  • 8º) Lance Stroll (CAN/Aston Martin), a uma volta
  • 9º) Esteban Ocon (FRA/Alpine), a uma volta
  • 10º) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta
  • 11º) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta
  • 12º) Daniel Ricciardo (AUS/McLaren), a uma volta
  • 13º) Fernando Alonso (ESP/Alpine), a uma volta
  • 14º) George Russell (GBR/Williams), a uma volta
  • 15°) Nicholas Latifi (CAN/Williams), a uma volta
  • 16º) Yuki Tsunoda (JAP/AlphatTauri), a uma volta
  • 17º) Nikita Mazepin (RUS/Haas), a três voltas
  • 18º) Mick Schumacher (ALE/Haas), a três voltas

Não completaram a prova:

  • Charles Leclerc (MON/Ferrari)
  • Valtteri Bottas (FIN/Mercedes).
Jornal Midiamax