Esportes

Santos deve futebol, cumpre obrigação de ganhar da lanterna Chapecoense e respira

A postura da Chapecoense surpreendeu o Santos

Agência Estado Publicado em 17/11/2021, às 20h17

Assessoria/Santos
Assessoria/Santos

O Santos não fez boa partida contra o pior time do Campeonato Brasileiro, mesmo jogando em casa. No entanto, conseguiu o que queria. Venceu a Chapecoense por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, na Vila Belmiro, e deu passo superimportante na luta para escapar do rebaixamento. Com 42 pontos, ficou mais perto da salvação.

A postura da Chapecoense surpreendeu o Santos. Em vez de ficar retraído, o lanterna e rebaixado time catarinense procurou sair para o jogo. Também adiantou a marcação. Com isso, os donos da casa não conseguiam achar espaços para fazer jogadas e ainda precisavam ter a preocupação de não se complicar com as investidas do adversário.

O jogo estava desconfortável para o Santos, até que a Chapecoense ajudou ao fazer um pênalti bobo. Marinho recebeu na linha da grande área, de costas para o gol, e ao tentar girar foi calçado por Jordan. Depois de quatro minutos de reclamações, consulta ao VAR e confirmação da penalidade, o próprio Marinho cobrou no canto esquerdo, aos 26, e comemorou fazendo o gesto antirracismo.

Mas a alegria de Marinho deu lugar à tristeza e ao choro pouco depois. Ao tentar dar um pique, ele sentiu a parte posterior da coxa esquerda e teve de ser substituído por Ângelo. O atacante estava começando a recuperar a boa forma técnica e deixou o campo desolado.

Depois de superar o baque do gol, o time catarinense voltou a crescer na partida e quase empatou em dois chutes de fora da área de Mike, aos 39 e 46 minutos. João Paulo conseguiu espalmar ambas as conclusões. A parte final da etapa foi de pressão do visitante.

A partida não mudou muito no segundo tempo. A Chapecoense continuou em busca do empate, com bom volume de jogo, e a rigor criou mais chances do que o Santos. Mas nada de marcar, o que também ajuda a explicar por que só venceu uma vez em 33 partidas

O Santos, por sua vez, em uma rara oportunidade que teve não perdoou. Raniel lançou para Pirani, que cruzou rasteiro para Marcos Guilherme, na pequena área, definir o jogo aos 38 minutos O rebaixamento ficou mais longe, e o Santos nem lamentou a bola do mesmo Marcos Guilherme que acertou o travessão já nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 CHAPECOENSE

SANTOS - João Paulo; Pará (Wagner), Luiz Felipe e Danilo Boza; Madson (Moraes), Camacho (Pirani), Zanocello, Felipe Jonatan e Marcos Guilherme; Marinho (Ângelo) e Diego Tardelli (Raniel). Técnico: Fábio Carille.

CHAPECOENSE - João Paulo; Ezequiel, Laércio, Jordan e Busanello (Marquinho); Moisés Ribeiro (Alan Santos), Anderson Leite e Denner (Lima); Mike (Bruno Silva), Henrique Almeida e Kaio Nunes (Geuvânio). Técnico: Felipe Endres.

GOLS - Marinho, aos 26 minutos do primeiro tempo; Marcos Guilherme, aos 38 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Amarelos: Jordan e Busanello (Chapecoense) e Ângelo (Santos).

ÁRBITRO - Paulo César Zanovelli (MG).

RENDA - R$ 232.400,00.

PÚBLICO - 11.574 torcedores.

Local - Vila Belmiro.

Jornal Midiamax