Esportes

Da obesidade ao fisiculturismo, Jorge perdeu 65 kg e estreia como atleta em MS

Diante do risco de infarto e da baixa autoestima, o servidor público transformou a rotina e se tornou atleta

Mylena Rocha Publicado em 26/07/2021, às 07h16

Jorge começou a se exercitar com a bike, mas se encontrou com a prática do fisiculturismo.
Jorge começou a se exercitar com a bike, mas se encontrou com a prática do fisiculturismo. - Reprodução/Arquivo Pessoal

“Qualquer um pode mudar”. Este é o lema do servidor público Jorge Granja, que mudou sua vida completamente em 15 anos. Morador de Dourados, a 225 km da Capital, ele deixou a obesidade para trás e se tornou um atleta. No mês que vem, Jorge participa de sua primeira competição de fisiculturismo em Mato Grosso do Sul. 

A mudança não foi fácil e não aconteceu de uma hora para outra. Aos 43 anos, Jorge conta que foram muitos tropeços pelo caminho. Deixar de ver o alimento como um alento foi um dos pontos mais difíceis e importantes em sua vida. “Com o processo depressivo, a comida passa a ser nossa grande amiga. Ela nos acolhe, nos dá prazer, não nos cobra nada. Enfim, comer parecia ser a única coisa boa da vida”, conta. 

Para entender como Jorge mudou radicalmente sua rotina, é importante resgatar o passado. O atleta conta que não tinha problemas com o peso até seus 20 anos. As complicações na saúde começaram na época que estava terminando a faculdade. Ele comenta que não percebeu que estava se tornando obeso. 

[Colocar ALT]
Jorge decidiu fazer a bariátrica após alerta do cardiologista. (Foto: Arquivo Pessoal)

“Dos 20 aos 26 anos, eu engordei em torno de 70 kg. Comia muito, é claro, me tornei muito sedentário e quando percebi, estava com 70 kg a mais e pressão arterial altíssima. O determinante para operar foi uma consulta médica com o cardiologista, ele disse que antes dos 30 anos eu infartaria, se não tomasse uma atitude”, conta. 

Depois da recomendação do médico, Jorge fez a cirurgia bariátrica e conseguiu perder peso. Entretanto, a mudança na rotina não veio junto com a operação. O atleta conta que continuou com a mesma rotina e, quase 10 anos depois da bariátrica, estava obeso novamente. Foi aí que ele decidiu transformar sua vida. “Eu demorei quase 10 anos depois de operado para mudar de verdade. A cirurgia não muda nossa cabeça, eu emagreci no primeiro ano, mas depois comecei a ganhar peso de novo”.

A autoestima foi o principal motivo que levou Jorge a procurar uma rotina mais saudável. O atleta conta que não gostava do que via no espelho e passou pelo ciclismo e pelo kickboxing até encontrar sua verdadeira paixão: a musculação. 

Depois de quase três anos praticando atividades físicas, Jorge buscou a ajuda de um nutricionista esportivo e de um personal. “Foi a grande virada de chave. Em dezembro de 2018, o nutricionista me disse que eu não pensava mais como um obeso. Minha cabeça tinha mudado”, conta. 

Aos poucos, Jorge foi ficando cada vez mais dedicado aos exercícios e à rotina saudável. Foi quando ele iniciou o trabalho com um coach, que o prepara para a competição, e fez três abdominoplastias.

No próximo dia 7, Jorge faz sua estreia como atleta no campeonato de fisiculturismo, em Ponta Porã. “O que me motivou a competir foi superar os meus limites e provar a mim mesmo que sou capaz de fazer o que eu quiser”. 

A poucos dias da competição, o atleta se prepara. Ele conta que tem 4,9% de gordura corporal e que ainda deve perder mais 7 kg com a desidratação, tudo para ficar pronto para o dia do campeonato. 

Para quem, assim como ele, quer mudar a rotina e se dedicar ao esporte, Jorge aconselha não desistir. “Qualquer um pode mudar, não é fácil e não é rápido, mas vale muito a pena. O seu eu do futuro será imensamente grato e feliz pelas escolhas certas do passado. Estou com 43 anos e na melhor fase da minha vida, em todos os sentidos. Quando você está bem consigo mesmo, tudo melhora”, aconselha o atleta.

Jornal Midiamax