Esportes

Hepta: Hamilton vence GP da Turquia e torna-se o maior campeão mundial de F1 da história

Os turcos realmente acreditam em mau olhado. Tanto que uma das maiores tradições do país é uma pedra azul chamada de olho turco, que eles guardam em casa e carregam nos automóveis para se protegerem da inveja alheia. Apesar do cenário adverso que encontrou na Turquia, Lewis Hamilton não precisou de uma para se tornar […]

Da Redação Publicado em 15/11/2020, às 10h24

Hamilton, da F1
Hamilton, da F1 - Hamilton, da F1

Os turcos realmente acreditam em mau olhado. Tanto que uma das maiores tradições do país é uma pedra azul chamada de olho turco, que eles guardam em casa e carregam nos automóveis para se protegerem da inveja alheia. Apesar do cenário adverso que encontrou na Turquia, Lewis Hamilton não precisou de uma para se tornar o maior campeão da história daF1.

O sétimo título, conquistado com três corridas de antecedência, aconteceu na pista molhada, em uma condição com a qual o piloto britânico não se entendeu em Istambul.

Justamente no fim de semana em que poderia entrar para a história, a infelicidade poderia parecer efeito do mau olhado dos adversários. Talvez tenha até sido. Mas Lewis Hamilton aprendeu a controlar o próprio destino para se tornar definitivamente um imortal da categoria mais importante do automobilismo.

O títulio veio com a vitoria no GP da Turquia. Sebastian Vettel (Ferrari) e Sérgio Perez (Racing Point) completaram o pódio. Seu olho turco é o talento que potencializou com os anos ao adquirir experiência que lhe permite errar muito pouco. Hamilton se manteve na pista até o fim enquanto que os adversários patinavam na “pista de gelo” da capital turca.

Se não precisou da pedra turca, houve outros amuletos que levaram Hamilton, o primeiro piloto negro da Fórmula 1, se tornar também o mais vencedor da história.

Jornal Midiamax