Esportes

Palmeiras quebra tabu no Morumbi e abre vantagem na ponta

Foram 16 anos e meio sem vencer no Morumbi, com 15 derrotas e nove empates, até que o Palmeiras se libertasse do tabu a favor do São Paulo. E foi uma libertação saborosíssima: vitória por 2 a 0 que fez o time abrir vantagem na liderança do Brasileirão: 56 pontos, três a mais que o […]

Clayton Neves Publicado em 06/10/2018, às 19h19

Foto: Ricardo Moreira/Fotoarena / LANCE!
Foto: Ricardo Moreira/Fotoarena / LANCE! - Foto: Ricardo Moreira/Fotoarena / LANCE!

Foram 16 anos e meio sem vencer no Morumbi, com 15 derrotas e nove empates, até que o Palmeiras se libertasse do tabu a favor do São Paulo. E foi uma libertação saborosíssima: vitória por 2 a 0 que fez o time abrir vantagem na liderança do Brasileirão: 56 pontos, três a mais que o Internacional e quatro a mais que o rival tricolor. Gustavo Gómez e Deyverson fizeram os gols.

O Palmeiras agora joga contra o Grêmio, outro postulante ao título, no Pacaembu. O São Paulo vai a Porto Alegre enfrentar o Inter. Os dois jogos serão às 16h de domingo.

Eram nove minutos de jogo quando o torcedor são-paulino percebeu que a noite seria difícil. Sidão, que já não goza de grande prestígio com a arquibancada, se enrolou em uma reposição e ofereceu a bola para Deyverson, que o atrapalhava. Na sequência, defendeu com a mão fora da área. O árbitro não enxergou falta de nenhum dos dois, mas o Morumbi congelou por alguns segundos.

Avalanche verde

Com marcação implacável, o Palmeiras não deixava o São Paulo fazer nada e esperava ter sucesso em uma casquinha de Deyverson, uma bola parada ou um contra-ataque. E foi justamente na bola parada que o placar foi inaugurado aos 33 minutos: Dudu cobrou escanteio e Gustavo Gómez, destaque deste Palmeiras “versão Brasileirão” montado por Scolari, subiu sozinho para marcar.

Quatro minutos depois, foi o contra-ataque que desmontou o São Paulo. Mayke, que entrou no lugar do machucado Marcos Rocha, conduziu a bola sem ser incomodado e serviu Dudu. O chute bateu na trave, mas a defesa tricolor seguiu desmantelada e Mayke, novamente, cruzou para Deyverson ampliar.

Ttime tricolor infértil

Recuperado da fibrose que o deixou fora das duas partidas anteriores, Everton só saiu do banco no intervalo. Gonzalo Carneiro foi a outra cartada de Aguirre. Saíram Rodrigo Caio e, surpreendentemente, Nenê. Diego Souza também saiu, já perto do fim, para a entrada de Tréllez.

O São Paulo até esboçou incomodar o Palmeiras na base da correria, mas ficou mais perto de tomar o terceiro do que de fazer o primeiro. Willian, que saiu do banco, exigiu uma boa defesa de Sidão. Festa verde.

Jornal Midiamax