Esportes

Caso de agressão a gandula no Comerário vai parar na delegacia

Três pessoas foram levadas à delegacia

Diego Alves Publicado em 19/02/2018, às 01h30

None

Três pessoas foram levadas à delegacia

O caso da agressão a um gandula no estádio Morenão no final da partida entre Comercial e Operário foi parar na delegacia neste domingo (18). O Comercial venceu o jogo disputado pelo Campeonato Estadual, por 1 a 0.Caso de agressão a gandula no Comerário vai parar na delegacia

Após as agressões, o Choque levou o gandula, Tadeu Francisco Kutter Junios, de 19 anos, que também é jogador da categoria de base do Comercial, o massagista Raul Prazeres dos Santos Neto, 51, e o jogador Jeferson Reis, 22, ambos do Operário, para esclarecimentos na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), Piratininga.

Segundo o registro policial 2273/2018, logo após o gol do Comercial, aos 45 minutos do segundo tempo, o gandula teria feito gestos à torcida e ao banco de reservas do Operário em comemoração ao gol. 

 Segundo o B.O., o massagista sentiu-se provocado pela comemoração e foi até o gandula tomar satisfação. De acordo com Raul, depois disso, Tadeu fez uma provocação verbal.

Raul então deu um soco no nariz do gandula que saiu correndo. Ainda segundo o  boletim de ocorrência, outros jogadores do Operário correram atrás dele e, quando o alcançaram,  Tadeu recebeu um chute na panturrilha e caiu.

Depois disso, Jeferson Reis passou a dar socos no gandula que estava caído ao solo. Tadeu também contou na delegacia que foi agredido pelo preparador de goleiros do Operário e pelo centroavante Rodrigo Grahl. O caso foi registrado como lesão corporal dolosa.

Jornal Midiamax