Esportes

Maior rival de Ronda, Tate anuncia aposentadoria após derrota no UFC

Ela anunciou aposentadoria ainda no octógono do UFC 

Wendy Tonhati Publicado em 13/11/2016, às 10h14

None
miesha-tate-interview-1099573-twobyone.jpg

Ela anunciou aposentadoria ainda no octógono do UFC 

Miesha Tate, uma das maiores estrelas do MMA feminino e rival histórica de Ronda Rousey, anunciou aposentadoria ainda no octógono do UFC Nova York, na madrugada deste domingo (13), após derrota para Raquel Pennington por decisão unânime dos árbitros laterais (29-28, 30-27 e 30-27). 

"Faço isso há mais de 10 anos, e já não é mais o meu tempo neste esporte estou anunciando minha aposentadoria. Foi por causa do resultado. Eu amo esse esporte, amo vocês, mas acabou para mim", disse a norte-americana, que deixou o ginásio chorando. 

Tate recentemente viveu seu auge na organização, ao conquistar o cinturão peso galo feminino em março de 2016, com vitória sobre Holly Holm. Na sequência, no entanto, perdeu o posto de campeã para a brasileira Amanda Nunes. O novo revés, desta vez para Pennington, a fez abandonar o MMA. 

A luta
Depois de perder o cinturão dos galos (61 kg) em julho para a brasileira Amanda Nunes, Miesha retornou ao octógono para medir forças contra a compatriota Raquel que, embalada por três triunfos seguidos, deixou claro desde o início que havia estudado todas as falhas no jogo da favorita. E elas não foram poucas.

Afoita em pé, como de costume, Tate partia para cima apostando na potência de seu direto de direita, mas teimou em deixar o lado esquerdo de sua defesa aberto, o que representou um convite para que os golpes curtos da rival marcassem seu rosto em poucos minutos.

Já quando tentava fazer a transição para a luta de solo, a ex-campeã telegrafava as entradas e esbarrava na boa defesa de Raquel, que se mostrou preocupada em dominar as ações de forma a garantir a liderança em cada assalto sem, no entanto, se preocupar tanto em buscar uma finalização.

Dessa forma, a raça misturada a ansiedade (características sempre presentes nos duelos de Miesha) se fizeram presentes e garantiram as brechas necessárias para que a atleta de 28 anos, visivelmente mais madura no octógono, se tornasse oficialmente uma das grandes forças da divisão.

Campeão nocauteado
Ex-campeão dos médios (84 kg), Chris Weidman retornou ao octógono para lutar diante de sua torcida. Sem competir desde dezembro de 2015, quando foi superado por Luke Rockhold em Las Vegas (EUA), o algoz de Anderson Silva entrou disposto a surpreender no octógono. Durante um primeiro round atípico, Romero caminhou paraa trás e, acuado, foi derrubado três vezes pelo americano, que não conseguiu estabilizar as posições. No entanto, a vantagem de ocupar o centro do octógono e de ser o agressor garantiu vantagem na parcial dos jurados.

No segundo assalto, o ex-campeão começou melhor de novo e chegou a derrubar o vice-campeão olímpico duas vezes, até que o jogo virou por completo. Incomodado com a dinâmica do combate, o cubano passou a derrubar e voltou a se sentir confortável. Por cima, ele reverteu o jogo e empatou a disputa. Já no round final, o americano acabou surpreendido por uma joelhada voadora que o deixou nocauteado no tablado, para surpresa dos fãs

Jornal Midiamax