Esportes

Grêmio e Inter ficam no zero em jogo marcado por confusão

Grêmio e Internacional se enfrentaram neste domingo

Clayton Neves Publicado em 23/10/2016, às 21h35

None
maiconvaldiviagremiointerbrasileiro23102016lucasuebelgremio.jpg

Grêmio e Internacional se enfrentaram neste domingo

Grêmio e Internacional se enfrentaram neste domingo em partida que mostrou bem as características de um Gre-Nal. Em um clássico disputado, com confusões dentro de campo e recorde de público na Arena do Grêmio, os dois times não conseguiram balançar as redes e o duelo terminou empatado em 0 a 0.

O Gre-Nal teve um primeiro tempo nada empolgante. Apesar de um domínio do Grêmio na posse de bola, o duelo teve poucas chances de gol e se destacou apenas por apresentar um jogo brigado e de muita raça. Já na etapa final, o confronto retornou mais movimentado e com oportunidades para os dois lados. No entanto, uma confusão que resultou nas expulsões de Edílson, pelo lado dos mandantes, e Rodrigo Dourado, pelos visitantes, esquentou o clima do duelo. Após as duas equipes ficarem com um jogador a menos, a expetativa era de um clássico mais movimentado. No entanto, poucas chances foram criadas e o duelo se manteve com o placar inalterado.

O clássico deste domingo marcou também o recorde de público da história da Arena do Grêmio, com 53.287 torcedores presentes, sendo 47.662 pagantes e 5.665 não pagantes.

Na próxima rodada, ambos os times irão atuar no sábado. Às 18h30(de Brasília), o Inter recebe o Santa Cruz, no Beira-Rio. Já às 19h30(de Brasília), o Grêmio visita o Figueirense, no Orlando Scarpelli.

O jogo – O Gre-Nal teve início da maneira que se espera para um clássico de tanta rivalidade. Brigado, o duelo teve como um dos primeiros lances de destaque um princípio de confusão. Logo aos cinco minutos, Miller Bolaños e William se enroscaram, o gremista deixou o braço e o primeiro empurra-empurra entre os jogadores se formou. O árbitro, no entanto, apenas amenizou a discussão e não distribuiu cartões.

Dentro de campo, a partida seguiu com muita raça. No entanto, apesar do domínio do Grêmio na posse de bola, o jogo não tinha chances claras de gol. As únicas finalizações aconteceram com Ceará, aos 15, e Edílson, aos 22, mas ambas foram muito longe da meta.

Nos 15 minutos finais da primeira etapa, a partida teve seus dois primeiros chutes a gol, mas ambos sem perigo. O primeiro veio com o Inter, aos 37. Sasha fez jogada pelo meio e rolou para Valdívia. O meia chutou de fora da área, mas Grohe caiu bem para defender. Na sequência, aos 38, foi a vez de Bolaños arriscar de longe para o Grêmio e Danilo Fernandes agarrar a bola.

Com poucas chances de gol na primeira etapa, o Gre-Nal foi para o intervalo com o placar inalterado.

O jogo voltou para o segundo tempo mais movimentado e com o Inter criando as principais chances. Na primeira, aos dois, Sasha recebeu de Vitinho, mas Geromel apareceu na hora certa para afastar. Já aos seis, Vitinho recebeu de Rodrigo Dourado e conseguiu a finalização, porém, mandou por cima do gol.

O Grêmio respondeu aos nove minutos e quase marcou. Bolaños cobrou escanteio da esquerda e mandou na cabeça de Kannemann. O zagueiro testou e mandou ao lado do gol com muito perigo.

Aos 14 minutos, novamente uma confusão tomou conta do clássico. Após falta marcada para o Inter, Kannemann tentou segurar a bola para retardar a cobrança e se envolveu em confusão com Vitinho. O tempo fechou e, no meio do bolo de jogadores, Edílson agrediu Rodrigo Dourado com socos. O árbitro Francisco Carlos do Nascimento optou por dar um cartão amarelo para Vitinho e expulsar Edílson. Alguns instantes depois, o juiz também mandou Rodrigo Dourado para o chuveiro mais cedo.

Após os dois times terem jogadores expulsos, a expectativa era que o clássico ficasse mais aberto. No entanto, o jogo seguiu truncado e com poucas chances de gol. Apesar de o árbitro assinalar oito minutos de acréscimo, nenhuma das equipes conseguiu balançar as redes e o Gre-Nal terminou empatado em 0 a 0.

Jornal Midiamax