Esportes

Com pênalti questionável, América empata com o Figueirense

Ficou tudo no 2 a 2 

Clayton Neves Publicado em 15/09/2016, às 00h27

None
gazeta-press-foto-osman-america.jpg

Ficou tudo no 2 a 2 

"O impossível não existe no futebol. Já vi situações e acredito que podemos sair". Os jogadores do América compraram a ideia do técnico Enderson Moreira e seguem com o sonho de escapar da queda para a série B em 2017. Na noite desta quarta-feira, diante do Figueirense, em Florianópolis, eles deram uma prova disso, e buscaram um empate fora de casa, por 2 a 2, depois de ter saído perdendo por dois gols de desvantagem.

No fim de semana o América já conseguiu o empate, também após sair perdendo, contra a Ponte Preta, e voltou a pontuar depois de mais de um mês. Agora, a equipe alviverde consegue novamente mais um ponto e leva na mala dois pontos que servem de ânimo em duas partidas consecutivas longe de Belo Horizonte.

O Figueirense abriu o placar com Lins, logo no inicio do jogo, e obrigou o Coelho a sair para o jogo. Quando era melhor em campo, o time alviverde teve uma penalidade marcada contra – em lance questionável – e viu Dodô ampliar a vantagem. Ainda no primeiro tempo, Jonas descontou, e no fim da partida, Osman conseguiu o empate.

O resultado deixa o América ainda na lanterna, com 15 pontos conquistados, a 14 do primeiro clube fora do Z4, Coritiba. O empate tirou o Figueirense momentaneamente do grupo dos quatro últimos, com 28 pontos, na 16ª colocação.

Depois de dois confrontos longe de Belo Horizonte, o América agora se prepara para receber o Internacional, no Independência, na segunda-feira, às 20h (de Brasília). Já o Figueirense vai a São Paulo para enfrentar o Flamengo, no domingo, às 11h, no Pacaembu.

Primeiro tempo de leve superioridade do Coelho

Embora se esperasse um América mais defensivo, como nos dois últimos jogos, o Coelho foi para Florianópolis com uma proposta de igualdade nos primeiros minutos de jogo. O time de Enderson Moreira não ficou apenas na retranca e preenchia bem os espaços. Mas, como também era esperado, era claro que o Figueirense seria o time a propor o jogo inicialmente.

O América esperava, mas saia. A primeira chegada do alviverde foi pela esquerda, em jogada com a dupla que iniciou na dobradinha pela esquerda, Gilson e Osman. A defesa dos donos da casa, entretanto, também fazia bem seu trabalho e não deixava o Coelho ter qualidade.

Aos 14 minutos, a defesa do América foi furada pela primeira vez. Em jogada de bola longa, com lançamento da zaga, Maurides deixou a redonda passar e enganou a zaga americana que não percebeu a entrada, sozinho, do atacante, que, sem dificuldades, colocou a bola para o fundo das redes.

Com sua estratégia de jogo sendo acabada logo no início de jogo, como vem ocorrendo com certa frequência no América, o time visitante precisou se soltar no jogo e buscar mais o ataque, na maioria das vezes utilizando a técnica de Gilson, Danilo e Osman – geralmente nas tentativas avançadas com a bola passando pelos pés desses atletas. A ligação entre defesa e ataque, no entanto, não passava por esses jogadores e, com isso, a ligação direta era uma arma usada constantemente.

Uma das boas chances do Coelho na partida aconteceu em um chute de fora da área, aos 33 de minutos de partida. No momento em que o América já tomava conta da partida – entendendo que a vitória se torna necessária então é importante buscá-la – Danilo recebeu bola na entrada da área e soltou um forte chute, mas Gatito conseguiu fazer a defesa.

E neste cenário que nasceu o segundo gol do Figueirense. Quando o América tomava o campo de ataque em busca de empatar a partida, e era melhor em campo, os donos da casa correram para o contra-ataque e Ayrton conseguiu, depois de um drible seco, um pênalti dentro da área. O resultado do lance duvidoso foi o gol de Dodô, aos 37, ampliando a conta.

Aos 43, o América conseguiu confirmar o crescimento dentro da partida, embora tivesse com o resultado desfavorável de dois gols. Dentro da área, depois de bola na esquerda, Nixon perdeu um gol na pequena área. No rebote, Jonas deu um belo chute para marcar um golaço.

América empata

Terminando o primeiro tempo melhor em campo, o técnico Enderson Moreira decidiu mandar sua equipe mais para o ataque na etapa complementar. O treinador tirou o volante Leandro Guerreiro e colocou o meia Ernandes. O Coelho seguiu sendo mais forte no meio campo

Aos 13, o Figueirense tentou responder a força do América. Com bom chute de Jefferson os donos da casa quase ampliaram. Atento, João Ricardo mandou para escanteio.

O jogo, no entanto, seguiu com o América buscando mais a partida, querendo o empate, mas o Figueirense se defendendo, utilizando de contra-ataques e usando, em parte deles, Dodô.

Aos 19, o América perdeu uma grande chance de empatar a partida. Com cruzamento de Juninho na área, a bola passou por Nixon na pequena área e ganhou a linha de fundo. Por pouco o Coelho consegue fazer o segundo gol.

Vaias no Orlando Scarpelli!

Aos 24 minutos do segundo tempo, muitas vaias no estádio Orlando Scarpelli. Isso porque Tuca Guimarães tirou Lins, que marcou um dos gols da noite, para colocar Rafael Silva. O detalhe é que o outro atacante, Marildes, estava mal em campo, algo que causou o desconforto da torcida. A alteração ocorreu no momento que a equipe da casa não tinha força ofensiva e corria mais riscos em campo.

Enderson Moreira também mexeu no time, colocou Matheusinho e mandou sua equipe para o ataque tirando Pablo, que já tinha o amarelo. Na saída do gramado, o lateral utilizado como volante pelo Coelho provocou a torcida e foi novamente amarelado, sendo expulso em seguida.

Matheusinho deu qualidade ao ataque e mostrou isso em seu primeiro lance do jogo. Ele recebeu uma bola na ponta esquerda, conseguiu dois dribles e deixou para Danilo, mas a finalização foi ruim.

Aos 35, o América consegue transformar em gol a capacidade que teve no segundo tempo. Após cruzamento pela esquerda, Osman apareceu sem marcador para empatar a contar. Depois de sofrer o empate, o Figueirense foi pra cima, mas não dava mais tempo e o empate foi confirmado.

Jornal Midiamax