Esportes

Por unanimidade, atacante Dudu leva gancho de 180 dias por agressão

Palmeiras ainda foi punido por R$ 48 mil por atraso na final - R$ 3 mil por minuto

Gerciane Alves Publicado em 19/05/2015, às 11h39

None
dudu.jpg

Palmeiras ainda foi punido por R$ 48 mil por atraso na final – R$ 3 mil por minuto

O atacante Dudu foi punido com rigor pelo empurrão ao árbitro Guilherme Ceretta de Lima, no jogo de volta entre Santos e Palmeiras, pela decisão do Campeonato Paulista . O time alviverde, equipe do jogador que foi adquirido como um dos principais reforços de 2015 após “chapéu” nos rivais São Paulo e Corinthians , queria que Dudu fosse enquadrado por ato hostil, mas o TJD-SP decidiu unanimamente por uma punição de 180 dias ao atleta e mais um jogo de gancho. O Palmeiras ainda foi punido por R$ 48 mil por atraso na final – R$ 3 mil por minuto.

Durante a defesa, o Palmeiras chegou a citar Petros – o corintiano também foi enquadrado por lance semelhante em 2014 e inicialmente foi punido com os mesmos 180 dias, que posteriormente caíram para três jogos. Pesou para Dudu o empurrão ter sido feito pelas costas do árbitro do jogo. O presidente da sessão até queria suspensão de 270 dias, mas optou por 180 para ser unânime aos colegas. O palmeirense foi absolvido das ofensas ao juiz.

O Palmeiras tem três dias para recorrer da decisão no Pleno e já anunciou que irá exercer o direito. O time ainda irá pedir efeito suspenso para que Dudu entre em campo neste domingo, em duelo às 11h (de Brasília) contra o Goiás, no Allianz Parque. “Dudu sabia que isso poderia acontecer, estava preparado para isso. Sabe que temos outros recursos. Estamos confiantes que dê para reverter. Tem que ter rigor, mas há um limite”, disse André Sica, advogado do Palmeiras.

A aposta palmeirense é que no Pleno, com juristas com mais tempo de casa, o jogador seja enquadrado em ato hostil. Até lá, a expectativa é que consiga jogar com efeito suspensivo.

Dudu foi julgado pelo chilique que deu na segunda partida da final do Campeonato Paulista . O atacante, que já havia perdido pênalti no primeiro jogo da decisão, no Allianz Parque , foi expulso após se enroscar com Geuvânio no fim da etapa inicial, na Vila Belmiro, e se revoltou. O santista também recebeu cartão vermelho, mas o palmeirense ficou irado: antes de deixar o campo chorando, partiu para cima do árbitro Guilherme Ceretta de Lima, empurrou-o pelas costas e ainda o chamou de “safado”.

Ceretta relatou na súmula que Dudu partiu em sua direção e “desferiu um golpe de forma intencional com o antebraço” em suas costas. Para completar, o árbitro alegou ter sido ofendido por Dudu com os seguintes termos: “você é um safado, sem vergonha. Veio aqui roubar a gente, seu filho da p…, mau caráter, ladrão, tendo que ser contido pelos companheiros”.

O atacante do Palmeiras , então, foi denunciado pelo TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva do Estado de São Paulo) e recebeu a informação de que seria julgado nos artigo 250 (ato hostil, com pena de uma a três partidas de gancho), 243-F (ofender alguém em sua honra, com pena de uma a seis partidas) e 254-A (agressão física, com pena mínima de 180 dias, sem máxima prevista). No mesmo dia, ele pediu desculpas via redes sociais , escrevendo que “todo ser humano erra”, e, depois, ainda afirmou que confiava nos advogados alviverdes e na ficha limpa para escapar de uma longa suspensão.

Jornal Midiamax