Esportes

Nuzman confirma exclusão de Julio Delamare da Olimpíada

O local abrigaria provas preliminares de pólo aquático

Clayton Neves Publicado em 21/05/2015, às 20h30

None
esportes-olimp-rio2016-poloaquatico-mudanca.jpg

O local abrigaria provas preliminares de pólo aquático

O presidente da Rio 2016 e do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, confirmou na tarde desta quinta-feira (21) a exclusão do Parque Aquático Julio Delamare da Olimpíada do ano que vem. O local abrigaria provas preliminares de pólo aquático. Agora, o Rio 2016 vai se decidir sobre transferir essas competições para Deodoro ou o Parque Maria Lenk.

“Em Deodoro vamos ter a piscina do pentatlo moderno, que pode servir muito bem ao pólo. Mas ainda não há nada definido. Só teremos uma solução em duas semanas”, disse Nuzman, que concedeu entrevista na sede da Rio 2016 após o encerramento da visita da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI). Os inspetores foram embora sem falar com a imprensa. Retornam para nova rodada de vistorias em agosto.

Na tarde de quarta-feira, o secretário da Casa Civil do Estado, Leonardo Espindola, já tinha deixado claro que o Julio Delamare seria posto de lado nos Jogos. A confirmação, porém, só veio hoje.

Nuzman voltou a afirmar que o Maracanã não vai passar por obras para a cerimônia de abertura dos Jogos. “Ficará como está, exatamente como está,  sem obras”, declarou. O estádio foi praticamente rescontruido para a Copa do Mundo ao custo aproximado de R$ 1,3 bilhão.

O dirigente também negou que haja algum plano B para a disputa de vela na Baía de Guanabara. “Vai ser lá, onde houve mundiais e várias competições internacionais. Não há possibilidade de mudança de local.” A baía recebe críticas constantes de atletas por causa do alto índice de poluição de suas águas.

Jornal Midiamax