Esportes

Eurico Miranda ataca presidente do Grêmio: não teve atitude de homem

O polêmico chefe do clube carioca convocou entrevista

Diego Alves Publicado em 22/05/2015, às 23h18

None
euricofalawagnermeieral.jpg

O polêmico chefe do clube carioca convocou entrevista

O presidente do Vasco , Eurico Miranda repudiou nesta sexta-feira o mandatário do Grêmio , Romildo Bolzan, que tentou tirar o técnico Doriva da equipe cruzmaltina. O polêmico chefe do clube carioca convocou entrevista para confirmar que o treinador permaneceria em São Januário e detonou a atitude do cartola do time gaúcho.

“Quero lançar aqui o meu repúdio à atitude tomada pelo presidente do Grêmio, que não está à altura daqueles que o antecederam. Ele poderia tranquilamente usar o telefone e me procurar e não o profissional no meio de uma competição, fazendo essa proposta milionária, mas que não foi levada em consideração pelo treinador. Esse cidadão, que hoje é presidente do Grêmio, não teve atitude de homem”, criticou Eurico, segundo o site do Vasco.

Na entrevista, o presidente vascaíno frisou por vários momentos que não foi procurado por Romildo Bolzan sobre o interesse no treinador. Pelo contrário: foi o próprio treinador que comunicou ao mandatário carioca sobre a proposta, que teve detalhes escancarados por Eurico Miranda.

“Foi uma proposta de contrato de dois anos garantidos para receber R$ 300 mil por mês. Reafirmo, que o presidente do Grêmio foi desrespeitoso com a instituição e em particular comigo. Fiquei só no aguardo dos acontecimentos e devo dizer que tive satisfação pessoal, porque vi que ainda existem pessoas no futebol que dão mais valor aos compromissos e à palavra do que o dinheiro”, disse.

O presidente do time alvinegro ainda disse que “ficou satisfeito” pela atitude de Doriva, mas que não alterará o contrato do treinador pelo interesse de um rival da mesma divisão do Campeonato Brasileiro . Para Eurico, a situação é diferente do ocorrido na contratação de Doriva pelo Vasco – o técnico havia acabado de ser anunciado no Botafogo-SP e o clube carioca pagou a multa para tirá-lo da equipe paulista.

“Quando contratamos o Doriva, ele tinha assinado contrato com o Botafogo-SP, mas nem tinha sido apresentado ao elenco do clube. Não é nada comparado a buscar um treinador no meio de uma competição. Há uma diferença muito grande, mesmo assim ele veio para o Vasco, que pagou a multa contratual, sem que ele tenha trabalhado um dia no clube paulista. Não foi proposta milionária, mas um projeto que ele acreditou”, alegou.

Jornal Midiamax