Cotidiano / Emprego & Concurso

Com salário de até R$ 6.9 mil, Senar/MS abre vagas de emprego

Seis para admissão imediata

Diego Alves Publicado em 22/11/2016, às 01h50

None
unnamed.jpg

Seis para admissão imediata

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural divulgou nesta segunda-feira (21) o edital referente ao processo com 22 cargos, sendo 6 para admissão imediata e 16  para preenchimento de cadastro reserva.

A inscrição será realizada entre os dias 21 e 27 de novembro, exclusivamente pela internet. O processo seletivo, previsto no edital 006/2016, é composto por três etapas: análise curricular, prova escrita e entrevista.

As vagas oferecidas para contratação imediata, são: Analista Educacional (1), Supervisor Regional (1), Analista técnico (1), Assistente de Projetos e Planejamento (1), Assistente Administrativo Educacional II (1) e Analista Contábil (1).

Já as para o cadastro reserva contemplam os seguintes cargos: Motorista, Assistente de Almoxarifado, Analista de Arrecadação, Assistente Administrativo Educacional, Analista Educacional, Analista Técnico, Assistente de Projetos e Planejamento, Assistente de Comunicação, Analista de Comunicação e Assistente e Analista de TI.

Os salários variam entre R$ 1.681,00 e R$ 6.960,00, com carga horária de 40 horas semanais. Os interessados devem acessar o site da instituição http://www.senar.org.br/processo-seletivo para obter mais informações sobre o certame.

Sobre o Senar/MS – O SENAR/MS foi criado pela Lei n. 8.315, de 23 de dezembro de 1991, e regulamentado pelo Decreto n. 566, de 10 de junho de 1992. O trabalho da instituição é organizar, administrar e executar, em todo o território nacional, a Formação Profissional Rural (FPR) e a Promoção Social (PS) de jovens e adultos, homens ou mulheres do meio rural.

É uma instituição de direito privado, paraestatal, mantida pela classe patronal rural, vinculada à Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e dirigida por um Conselho Administrativo, de composição tripartite e paritária, por ser composto por representantes do governo, da classe patronal rural e da classe trabalhadora, com igual número de conselheiros.

Jornal Midiamax