Cotidiano / Emprego & Concurso

PGE descarta fraude, mas vai apurar abertura em envelope de provas de concurso

A Procuradoria Geral do Estado vai apurar as causas do rompimento de um dos envelopes de provas do concurso público do órgão, aplicadas no domingo (16), em Campo Grande. O órgão descarta fraude e garante que o processo de seleção está mantido, mas cogita recorrer até aos Correios, fornecedor dos invólucros, para esclarecer o que […]

Arquivo Publicado em 18/03/2014, às 15h06

None

A Procuradoria Geral do Estado vai apurar as causas do rompimento de um dos envelopes de provas do concurso público do órgão, aplicadas no domingo (16), em Campo Grande. O órgão descarta fraude e garante que o processo de seleção está mantido, mas cogita recorrer até aos Correios, fornecedor dos invólucros, para esclarecer o que houve.

O problema foi detectado na sala 25 do concurso, na UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Havia uma abertura de cerca de dez centímetros na parte inferior do envelope, similar aos usados pelo Sedex, serviço de envio de encomendas dos Correios.

A comissão organizadora do concurso fez uma sessão pública aos candidatos, na manhã desta terça-feira, para apresentar o gabarito oficial preliminar das provas e, também, prestar esclarecimentos sobre o ocorrido no envelope da sala 25. O presidente da comissão, o procurador-geral adjunto da PGE, José Barcello de Lima, garante que não houve vazamento de informações.

Segundo ele, o problema pode ter ocorrido no manuseio e transporte dos envelopes e por uma eventual falha no compartimento. Ele descarta o vazamento porque dentro do envelope havia 35 provas, o mesmo número de candidatos na sala, e o problema foi detectado quando os portões já estavam fechados.

O concurso, para preencher nove vagas na PGE, teve 1528 inscritos. A SAD (Secretaria Estadual de Administração), que aplicou as provas, deve trabalhar juntamente com a PGE para esclarecer o problema no envelope, disse o procurador adjunto.

Jornal Midiamax