Cotidiano / Economia

Com alta da parafina, até velas para o Dia de Finados pesam no bolso do campo-grandense

Quilo da vela está até 47% mais caro em comparação ao mesmo período do ano passado na Capital

Mariane Chianezi e Ranziel Oliveira Publicado em 25/10/2021, às 14h45

None
Leonardo de França, Midiamax

Seja por luto, pela fé ou até mesmo pela falta de energia elétrica com as intensas chuvas em MS, a venda de velas em Campo Grande tem disparado e, em comparação com o ano passado, o preço do artigo sofreu uma variação de até 47% na Capital diante da alta da parafina. Com o Dia de Finados comemorado na próxima semana e a necessidade dos familiares em homenagear os entes queridos, o setor espera vender até o dobro de produtos.

[Colocar ALT]
Luan Alexandre | Foto: Leonardo de França, Midiamax

Conforme Luan Alexandre, de 27 anos, vendedor há 12 anos em uma loja de artigos religiosos, o preço da vela encareceu diante das variações no preço do petróleo. Segundo ele, a parafina que faz a vela é derivada do petróleo e os constantes reajustes impactam no valor.

“Antes, o quilo da vela era R$ 19, agora é vendida por R$ 28,90 em média. Continua a mesma intenção de compras, até aumentou depois da pandemia, pois as pessoas passaram a procurar mais a religião e dobraram as vendas”, disse o vendedor.

Para garantir a luz em homenagem aos finados na próxima semana, uma opção é adquirir o pacote econômico, com 8 unidades de velas pequenas por R$ 4,70.

À reportagem, Luan também comentou que a população procurou comprar velas para a tempestade prevista para o último fim de semana. A possibilidade de ficar sem energia elétrica fez os fazendeiros e moradores de sítios comprarem velas para garantir a iluminação em caso de falta de abastecimento.

Uma vendedora, de 23 anos, de outra loja de artigos religiosos da Capital, disse que as vendas têm sido potenciais e a expectativa é que cresçam mais nessa semana devido ao feriado de Finados. “Os clientes compram, mas não falam a finalidade. Só levam”, disse.

Proprietário de uma loja, José Ricardo, de 50 anos, também pontuou as variações no preço do petróleo e os impactos nos valores das velas. Segundo ele, a cada carga de artigos que chega, é notório o aumento. “O último caminhão foi 10% a mais no valor e o próximo com certeza vem mais. Com a vela não tem o que fazer, é derivada do petróleo”, comentou.

Na loja de José, o quilo da vela branca antes era vendida por R$ 12 e agora o valor chega a R$ 20.

Foto: Leonardo de França, Midiamax

Jornal Midiamax