Cotidiano / Economia

Auxílio Emergencial pode ser prorrogado até novembro? Entenda a discussão

Proposta ganha força com a vacinação em ritmo lento no país

Gabriel Maymone Publicado em 10/05/2021, às 07h54

Auxílio emergencial ainda é discutido no Congresso Nacional
Auxílio emergencial ainda é discutido no Congresso Nacional - Divulgação

Com a pandemia avançando no Brasil, o Congresso Nacional estuda a possibilidade de aprovar projeto prevendo a prorrogação do auxílio emergencial até novembro de 2021. O Governo Federal já informou que há recursos separados, caso seja necessário.

O auxílio emergencial foi criado no ano passado, devido à pandemia de Covid-19 e os impactos econômicos gerados por ela. Após nove meses de pagamento, o programa chegou ao fim em dezembro de 2020.

Assim, 2021 continuou sentindo os reflexos da pandemia e, então, pressão dos parlamentares fez com que o Governo Federal aprovasse uma nova rodada de pagamentos, desta vez, com 4 parcelas com valores que variam de R$ 150, R$ 250 e R$ 375, dependendo da composição familiar.

Então, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já anunciou que após o fim da ajuda federal, irá aumentar a média do valor do Bolsa Família, que passará de R$ 190 para R$ 250. Atualmente, o programa beneficia mais de 14 milhões de brasileiros.

Porém, são cerca de 40 milhões de pessoas que recebem o auxílio emergencial, sendo que apenas 10 milhões delas fazem parte do Bolsa Família. Assim,a preocupação é de que esse  grupo de 30 milhões de brasileiros fique desamparado neste período, em que ainda haverá reflexos da pandemia.

O ministro da Economia, Paulo Guedes admitiu que há a possibilidade de haver uma prorrogação por mais alguns meses, caso haja a necessidade. Porém, declarou que o auxílio emergencial precisa ser substituído por programa de transferência de renda reforçado.

Entretanto, o ritmo lento de vacinação fez com que a proposta de prorrogação do auxílio emergencial ganhasse força entre os parlamentares e a sociedade. 

Jornal Midiamax