Cotidiano / Economia

Com nova fábrica, MS lidera contratações do FCO com R$ 274 milhões em 2017

Mato Grosso do Sul liderou a contratação de recurso do FDCO (Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste) em 2017, graças ao financiamento de R$ 274 milhões pela ADM do Brasil. A empresa instalou fábrica no Indubrasil, em Campo Grande, e é considerada a maior fábrica de proteína de soja da América Latina.

Mylena Rocha Publicado em 09/06/2018, às 09h52 - Atualizado em 10/06/2018, às 11h11

Foto: Divulgação/Portal do MS
Foto: Divulgação/Portal do MS - Foto: Divulgação/Portal do MS

Mato Grosso do Sul liderou a contratação de recurso do FDCO (Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste) em 2017, graças ao financiamento de R$ 274 milhões pela ADM do Brasil. A empresa instalou fábrica no Indubrasil, em Campo Grande, e é considerada a maior fábrica de proteína de soja da América Latina.

A Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) é a responsável pela administração dos fundos de financiamento no estado e disse atuar de forma efetiva para o empenho dos recursos, que visam assegurar a implantação de projetos.

Segundo o secretário Jaime Verruck, a ideia do FDCO é financiar investimentos de impacto na indústria e de alta tecnologia. “É o caso do empreendimento da ADM e tivemos uma forte articulação para liberação dos recursos do FDCO”, disse.

O diretor de Implementação de Programas e Gestão de Fundos da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste), Edmilson Alves, alega que no ano passado, o fundo disponibilizou R$ 843 milhões em recursos para o Centro-Oeste e Mato Grosso do Sul se destacou pela contratação da ADM. Já em 2018, o fundo disponibiliza apenas R$ 59 milhões em recursos.

Alves explica que o Governo Federal não aportou nenhum recurso para o Fundo e que o montante disponível é referente ao retorno das aplicações. “Isso é ruim para todos, pois inviabiliza o financiamento de grandes investimentos”.

Do total para 2018, 20% ainda são destinados para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), conforme nova determinação federal. “Sabemos o quanto é importante esse recurso para o desenvolvimento dos estados, mas o que temos para este ano só é suficiente para atender uma proposta, visto que o valor mínimo é de R$ 30 milhões”, diz.

Jornal Midiamax