Cotidiano / Economia

Ministro admite mudar foco e incentivar pequenos frigoríficos

Em MS cerca de 80% do que é produzido é comprado pela JBS

Clayton Neves Publicado em 30/03/2017, às 21h33

None
4a09aa17-b96f-49e3-8c7c-5e3745042bd8.jpg

Em MS cerca de 80% do que é produzido é comprado pela JBS

O incentivo a  pequenos frigoríficos devem ser pauta para discussões do Governo Federal. Durante entrevista em Campo Grande na tarde desta quinta-feira (30), o ministro da agricultura Blario Maggi afirmou que o Governo “tem a preocupação de que novas e pequenas empresas participem do mercado”.

Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, os frigoríficos da JBS são responsáveis, segundo estimativa da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) pela compra de cerca de de 80% do que é produzido aqui. Ao todo, a companhia tem 22 unidades instaladas em 9 municípios, considerando o processamento de carne bovina, carne suína e outros itens de origem animal.

Além de contar com participação acionária do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em 2015, por exemplo, a JBS recebeu do governo do Estado incentivo fiscal que vai chegar a 1 bilhão até 2019.

De acordo com o ministro, auxílio aos pequenos frigoríficos já é uma reivindicação antiga da bancada que representa Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional, em especial na forma como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) cedeu créditos a grande empresas, muitas vezes acarretando prejuízos à outras.

“A bancada a muito tempo vem reclamando que por conta disso uma companhia cresceu muito e outra diminuiu. Isso acabou criando um desbalanceamento na oferta de produtos. Daqui pra frente vamos ter que analisar esse sistema de fomento a novos frigoríficos, novos investidores e novos empresários para que possam investir nessa área”, disse.

Embora exista predisposição para discutir o tema e conceder mais incentivo às pequenas empresas, Maggi afirma que mudar a realidade atual no mercado não é algo para curto prazo. “Não temos como interferir nesse momento, já que todo esse assunto passou por aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Vamos fazer uma análise política, análise econômica é outra coisa, mas queremos sim incentivar que novos participantes cheguem no mercado”, finalizou.

Jornal Midiamax