Cotidiano / Economia

Fazenda de Olacyr, ex-rei da soja, será leiloada em Mato Grosso

Valor inicial dos lances é de R$ 136 milhões

Celso Bejarano Publicado em 03/04/2017, às 18h08

None
agoraolacyr.jpg

Valor inicial dos lances é de R$ 136 milhões

Fazenda dos herdeiros do empresário Olacyr de Moraes vai a leilão judicial a partir das 15h desta segunda-feira (3) com lance inicial de R$ 136,4 milhões.

Entre outros empreendimentos, ele foi o fundador da Usina Itamarati, em Mato Grosso, Olacyr era conhecido como o “Rei da Soja”. Ele morreu em 2015, aos 84 anos, em decorrência de um câncer de pâncreas. Olacyr era dono também da fazenda Itamaraty, hoje ocupada por um dos maiores assentamentos, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

A "Fazenda Mamonal" está localizada no Município de Nova Olimpia (207 km de Cuiabá) e possui uma área total de 11.920 hectares.

De acordo com a empresa responsável pelo leilão, a Mega Leilões, o imóvel foi dado como garantia a empréstimos realizados pelo empresário falecido à multinacional John Deere, que atua no ramo de máquinas e implementos agrícolas.

A Jonh Derre moveu uma ação de execução de título extrajudicial na 4ª Vara Cível do Foro Regional de Pinheiros (SP), que determinou o leilão.

Conforme a Mega Leilões, a dívida do empresário com a multinacional ultrapassa os R$ 91 milhões.

Segundo a descrição do site de leilões, a fazenda é destinada ao plantio de cana de açúcar da Usina Itamarati, que atualmente é uma das maiores unidades do setor sucroenergético nacional.

O imóvel ainda tem: telefone;  iluminação; casas de alvenaria comum destinadas à moradias de funcionários; um barracão em estrutura metálica utilizado para guarda de tratores implementos, sementes e insumos e escritório.

O leilão

Os lances serão ofertados somente através do site www.megaleiloes.com.br e divulgados on line, em tempo real.

Só serão aceitos lances iguais ou superiores ao valor da avaliação.

Conforme a Mega Leilões, não havendo lance igual ou superior ao valor da avaliação, será realizado um segundo leilão com início previsto no dia 5 de maio às 15h01, se estendendo até o dia 29.

Nessa segunda praça serão aceitos lances com no mínimo 50% do valor da avaliação.

Ainda de acordo com a Mega Leilão, podem participar o usuário “capaz de exercer atos da vida civil”.

Menores de 18 anos não serão admitidos a participar das praças.

O arrematante deverá efetuar o pagamento do preço do imóvel arrematado no prazo de até 24  horas após o leilão, através do pagamento da guia de depósito judicial do Banco do Brasil em favor do Juízo correspondente, a qual será disponibilizada ao arrematante através do portal www.megaleiloes.com.br, sob pena de se desfazer a arrematação.

O pagamento da comissão do leiloeiro deverá ser realizado igualmente em até 24 horas a contar do encerramento da praça, através de boleto bancário a ser disponibilizado ao arrematante através de e-mail ou do portal www.megaleiloes.com.br, na seção “Minha Conta”.

O não-pagamento do preço do imóvel arrematado e da comissão do leiloeiro oficial, no prazo aqui estipulado, configurará desistência ou arrependimento por parte do arrematante, ficando este impedido de participar de novos leilões judiciais.

Histórico

Olacyr de Moraes foi um dos empresários mais ricos e conhecidos do País.

Aos 19 anos, junto com seu irmão Odimir e seu pai Argeu, Olacyr começou a sua carreira de empresário constituindo a empresa de transporte de cargas Argeu Augusto de Moraes e Filhos Ltda.

Em 1957 nascia então a empresa Construção e Transportes Constran Ltda, uma sociedade em partes iguais entre Olacyr e seu irmão Odimir.

Em 1967, Olacyr, junto a um grupo de empresários, criou a Orpeca S.A.cujo objetivo era a criação e a engorda de gado no Norte de Mato Grosso, uma região até então inóspita.

Em 1973, iniciou uma bem sucedida atividade agrícola com a constituição da empresa Itamarati Agro Pecuária S.A., localizada na cidade de Ponta Porã (MS).

A Fazenda Itamarati contava com uma área total de 50 mil hectares, onde eram cultivados principalmente soja, milho, arroz, trigo e algodão. Uma área menor da fazenda era destinada a estudos, produção e desenvolvimento de sementes certificadas de arroz, soja, trigo, algodão, feijão, girassol e sorgo. 

Na época, o solo da região não era o ideal para os espécimes de soja produzidos no Brasil.

Para se tornar o projeto viável, Olacyr teve que investir muito em pesquisa em laboratórios próprios construídos para isso que contaram com a colaboração de um convênio feito com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a Universidade Federal de Viçosa. Foram desenvolvidas mais de 3 mil linhagens diferentes de soja e trigo.

Em 1975 no Município de Diamantino, Olacyr inaugurou a empresa Itamarati Norte S/A, que ocupava uma área total de 110 mil hectares, onde passou a produzir principalmente soja, milho e algodão.

As técnicas de otimização desenvolvidas por ele e aplicadas na Fazenda Itamarati e na empresa Itamarati Norte S/A Agropecuária obtiveram tamanho sucesso que alçou Olacyr ao título de "Rei da Soja" nos anos 80, por ser o maior produtor individual de soja do mundo.

Em 1979, Olacyr diversificou suas operações inaugurando a empresa Calcário Tangará em Tangará da Serra. Em 1985, ele fundou a Calcário Itamarati em Bela Vista (MS).

A partir de 1980, no Chapadão dos Parecis, Município de Nova Olímpia (MT), Olacyr construiu e operou a empresa Usinas Itamarati S/A, proprietária de aproximadamente de 100 mil hectres de terras, cultivando principalmente cana-de-açúcar em terras próprias e de terceiros.

Em 1989, em Chapadão dos Parecis (MS), Olacyr iniciou um programa de melhoramento genético do algodão brasileiro.

O resultado gerou a criação de uma variedade de algodão (ITA90) de alta produtividade. Graças a ela, o Brasil deixou de ser um grande importador para ser um dos maiores exportadores de algodão do mundo.

Jornal Midiamax